Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Juan Alba revê maiorais do tênis

No Arthur Ashe Stadium depois de dois anos, o ator torce no Us Open e registra jogos com panorâmicas impressionantes

Redação Publicado em 13/09/2011, às 21h29 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Na Suíte CARAS no complexo de Flushing Meadows, em New York, o ator paulista fotografa... - Martin Gurfein
Na Suíte CARAS no complexo de Flushing Meadows, em New York, o ator paulista fotografa... - Martin Gurfein

O ator Juan Alba (46) conseguiu unir duas das suas maiores paixões: o tênis e a fotografia. No ar na novela Rebelde, da Record, o galã foi um dos convidados da Suíte CARAS no Arthur Ashe Stadium, no Flushing Meadows Corona Park, em New York, onde é realizado anualmente o US Open.

Veterano na plateia do torneio, Juan já havia assistido à final entre Juan Martín del Potro (22) e Roger Federer (30), em 2009, também a convite de CARAS. Mesmo já familiarizado com a emoção de presenciar uma partida de Grand Slam, foi impossível não se surpreender com a grandiosidade deste que é um dos maiores eventos esportivos do mundo. “A sensação é que é sempre como se fosse a primeira vez, uma emoção diferente a cada jogo. Ver pela televisão é uma coisa, mas estar aqui e ver os jogos de perto têm muito mais graça. É um clima diferente e muito bom. Dá pra ver de perto a técnica incrível desses jogadores que formam a elite mundial do esporte”, conta Juan. O ator assistiu aos jogos entre John Isner (26), dos EUA, contra o britânico Andy Murray (24), e o norte-americano Andy Roddick (29) versus o espanhol Rafael Nadal (25), no último dia 9, nos quais Murray e Nadal triunfaram e se encontraram na semifinal, vencida por Rafa.

E tão próximo da quadra, impossível não registrar esse momento e guardá-lo para a posteridade. Com sua câmera Sony Cyber-shot, Juan fotografou as melhores jogadas e ainda pôde usar o recurso de fotos panorâmicas, que registra a imagem a partir de 180 graus, mostrando toda a grandiosidade do espetáculo em quadra e a empolgação nas arquibancadas lotadas. “A fotografia sempre fez parte da minha vida, atrás e diante das câmeras. Sempre fui fã de eternizar os momentos importantes”, diz ele. E o Arthur Ashe Stadium é um cenário perfeito para entrar na história de qualquer pessoa. “Não tem nada a ver com um estádio de futebol, por exemplo. Aqui, o clima é mais intimista e é um ritual bem bacana. Costumo acompanhar o US Open e também Rolland Garros, na França, que são os meus preferidos”, conta Juan. Um momento grandioso para levar por toda a vida. “É uma experiência única, algo para contar e dividir com as pessoas”, conclui o ator.