Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Jodie Foster 'sai do armário' com discurso sobre privacidade

Com longo discurso sobre a importância da privacidade, Jodie Foster abre detalhes sobre sua vida pessoal e chama parceiros de set de familiares

Redação Publicado em 14/01/2013, às 01h42 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Jodie Foster - Getty Images
Jodie Foster - Getty Images

Com 47 anos de sua vida dedicados ao cinema, Jodie Foster (50) recebeu emocionada a estatueta Cecil B. DeMille no 70º Globo de Ouro e subiu para contar ao público sobre como sua vida foi feliz em meio aos sets de filmagense desde tão jovem deu vida. Em longo discurso que comoveu os colegas, Jodie abriu detalhes sobre sua vida pessoal e falou sobre como é viver desde tão jovem diante das câmeras.

Estou solteira”, brincou depois de fazer cerimônia e tentar entreter a plateia com piadas. Em discurso sobre a importância da privacidade, Jodie fez referência à sua orientação sexual e a importância de buscar uma vida normal no meio do entretenimento.

Não vou fazer um discurso saindo do armário, já o fiz no idos anos 1980 diante da minha família e das pessoas que amo. Mas se você luta por uma vida normal, vai aprender dar valor à privacidade. Até porque que um reality show sobre a minha vida seria um saco”, brincou.


Dedicada às telonas desde os três anos de idade, Jodie Foster fez um agradecimento especial a todas as equipes com as quais trabalhou durante sua carreira. “47 anos na indústria é um longo tempo . Vocês são minha família, diretores, produtores, atores, equipe. Nos beijamos, vomitamos, cuspimos e choramos juntos. Não dá pra ser mais íntimos que isso”.


Com a plateia comovida, Jodie agradeceu ainda sua mãe em discurso emocionado sobre a grande mulher que ela foi e avaliou a homenagem como um marco em sua vida. “Vou continuar a contar história, a comover pessoas, ser comovida. É a melhor coisa do mundo. Quero ser vista, ser compreendida e não ser tão solitária”, concluiu.