Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Heinrich e Kyra Gracie: jiu-jítsu em ONG

EXCLUSIVO: Cláudio Heinrich vai dar aulas de jiu-jítsu em instituição comandada pela tetracampeã mundial e bela Kyra Gracie

<i>por Eduardo Laviola</i> Publicado em 06/05/2011, às 00h38 - Atualizado às 04h43

Cláudio Heinrich com as crianças do 'Institudo Kapacidade' - Divulgação
Cláudio Heinrich com as crianças do 'Institudo Kapacidade' - Divulgação
O ator Cláudio Heinrich vai dar aluas de jiu-jítsu para crianças carentes do Instituto Kapacidade, comandado pela tetracampeã mundial Kyra Gracie. Cláudio irá ensinar as técnicas da arte para cerca de 40 crianças. Fã das artes marciais, o ator sempre quis unir a paixão pelo esporte, com a vontade de fazer um trabalho social. "Dar aula para essas crianças é um prazer indescritível. O jiu-jítsu é um esporte maravilhoso e que pode realmente fazer a diferença na vida delas. Tive uma recepção muito carinhosa e saí de lá com as baterias renovadas", conta Cláudio à CARAS Online. Fruto de uma parceria entre Kyra Gracie e o empresário Bruno Neves, o Kapacidade atua juntamente com a ONG Ação Social Frei Gaspar, em Vargem Grande, Rio de Janeiro. Atendendo atualmente cerca de 150 crianças e adolescentes carentes, o instituto busca reinserir jovens à sociedade por meio do jiu-jítsu. "O esporte ensina lições como o respeito e a competitividade. Além de ser formador do bom caráter e promover o cidadão. Mais do que campeões no tatame, queremos formar campeões na vida", completa Kyra. Sobre a tetracampeã mundial Kyra Gracie: Apaixonada pelo jiu-jítsu e pelo legado iniciado por seu bisavô, Kyra Gracie é a única mulher faixa-preta da família Gracie e que compete profissionalmente. A atleta está nos preparativos finais para embarcar para Los Angeles, EUA, onde vai concorrer ao mundial. Na bagagem, além do quimono rosa e da pressão do sobrenome Gracie no mundo do jiu-jítsu, a atleta tem a missão de defender o título. O mundial de 2010 - e os outros três já conquistados em 2004, 2006 e 2008 - a tornam a adversária mais temida pelas outras competidoras. "A responsabilidade é grande, mas estou me preparando ao máximo para manter o título no Brasil", revela.