HAVELANGE É HOMENAGEADO

NA LUTA PARA O RIO SEDIAR AS OLIMPÍADAS DE 2016

Publicado quarta 16 julho, 2008

NA LUTA PARA O RIO SEDIAR AS OLIMPÍADAS DE 2016
Havelange, penúltimo à dir., com Nuzman, Olavo, Lázaro e João Roberto na sede da ACRJ. - Carol Feichas
O ano de 2016 será especial para João Havelange (92). É quando ele pretende realizar dois sonhos: comemorar o centenário e ver uma Olimpíada no Brasil, especificamente no Rio, uma das quatro cidades finalistas na luta para realizar o evento. Justamente a dedicação à vida e ao esporte levaram o presidente de honra da Fifa a receber a medalha Visconde de Mauá Grau Ouro, maior honraria da Associação Comercial do Rio de Janeiro. "Visconde de Mauá criou a estrada de ferro, abriu os portos e criou a indústria. Diante deste exemplo farei tudo para termos os jogos na minha cidade, o Rio", disse Havelange, que nada 1500 metros por dia e participou como atleta dos jogos de 1936, em Berlim, e de 1952, em Helsinque. "Meu pai morreu quando eu tinha 17 anos. Prometi a ele que não faltaria a nenhuma Olimpíada. Venho cumprindo", emociona-se ele, cercado pelos presidentes do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman (66), da ACRJ, Olavo Monteiro de Carvalho (65), do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro Brandão (82), e pelo vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho (54).

Último acesso: 06 Jun 2020 - 18:43:35 (114930).