Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

GUILHERMINA E FLÁVIA CONTAM OS DIAS PARA VER SHOW DE MADONNA

Madrinhas do Lounge Vip no Brasil, as duas atrizes dão dicas de looks para o espetáculo que já foi mostrado na Argentina

Redação Publicado em 10/12/2008, às 08h00 - Atualizado às 08h17

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Os admiradores brasileiros de Madonna (50) já iniciaram a contagem regressiva para assistir aos espetáculos de um dos maiores ícones da música pop de todos os tempos. A cantora americana desembarca no Rio na sextafeira, 12, após fazer quatro shows na Argentina. Ela se apresenta no Maracanã, domingo e segunda, 14 e 15, e em São Paulo, dias 18, 20 e 21 de dezembro. Há rumores de que seu novo affaire, o jogador de beisebol Alex Rodriguez (33), a acompanhe. Estilosa e camaleônica, Madonna, que estrela a campanha da grife francesa Louis Vuitton em 2009, permanece ditando moda e encantando fãs como as atrizes Guilhermina Guinle (35) e Flávia Alessandra (34), madrinhas do Lounge Vip da Renner nas apresentações da turnê brasileira, ao lado de Camila Pitanga (31), Mariana Ximenes (27) e Claudia Raia (41). Enquanto brincava com as camisetas da coleção da Sticky & Sweet Tour, Flávia contou já ter tido sua fase bem tiete. "Com 15 anos, vivia no estilão Madonna. Usava calça rasgada, crucifixo, renda. Mas eu estudava no Colégio Militar e não admitiam isso. Um dia fui convidada a me retirar", disse, rindo. Já Guilhermina admira a capacidade da artista de inovar. "Ela passou por várias fases e continua fazendo sucesso. E o incrível é que não é uma fashion victim, usa a moda a seu favor, de acordo com a sua personalidade", afirmou. As duas ainda deram conselhos sobre o melhor look para curtir o show. "O ideal é calça jeans, tênis, camiseta, crucifixo e algo da cabala. Mas tem que estar feliz para pular muito", disse Flávia. "Pode ser bermuda ou calça com camisa customizada. O ideal é estar confortável", disse Guilhermina. Segundo Luciane Franciscone (38), gerente-geral de Marketing da Renner, a empresa armou um esquema especial para receber no Lounge Vip 200 convidados em cada um dos cinco shows. Além do convite, todos ganharão camiseta by Juliana Jabour (31). "Eles ficarão de cara com a Madonna", explicou. "É uma honra para a Renner, que é focada na mulher, trazer ao país a maior popstar do mundo", completou Luciane. A tour de Madonna pela América do Sul começou na Argentina. Foi a primeira vez que a cantora voltou ao país após as filmagens, em 1995, de Evita. O longa de Alan Parker (64) revive a trajetória de Eva Perón (1919-1952), atriz que se tornou a segunda mulher do presidente Juan Domingo Perón (1895-1974) e carismática líder política argentina. A rainha do pop chegou a Buenos Aires na segunda-feira, 1, acompanhada dos três filhos, Lourdes Maria (12), da relação com o personal trainer Carlos Leon (42), Rocco (8), do casamento recém-acabado com o diretor Guy Ritchie (40), e o malauiano adotado David Banda (3). Um dos compromissos agendados era a reunião com a presidente Cristina Kirchner (55). Mas Madonna acabou se encontrando também, na Casa Rosada, sede do governo, com a ex-refém das Farc - Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - Ingrid Betancourt (47), que foi agradecer o apoio da Argentina na sua libertação em julho, após seis anos e meio de seqüestro. O primeiro show dos quatro de Madonna no país, marcado para quarta-feira, 3, foi adiado por um problema no avião que levava os equipamentos. Só no dia seguinte, ela subiu ao palco armado no Estádio Monumental, em Buenos Aires, lotado com mais de 60000 pessoas, entre elas muitos brasileiros. Patrocinadora do show, a TAM convidou os atores Max Fercondini (23), acompanhado de sua mãe, a ginecologista ortomolecular, Márcia Kablukow (48), ambos visitando a Argentina pela primeira vez, e o casal Miguel Thiré (26) e Sheron Menezes (25) para assistirem à apresentação da diva do pop na pista vip. "Madonna é um símbolo, uma grande artista muito irreverente. O show tem momentos muito divertidos mas tam bém levanta questões sociais muito importantes, como na música 4 Minutos, em que passam imagens sobre o aquecimento global e as desigualdades por todo o mundo. Todos os artista e comunicadores têm essa responsabilidade, quem nega isso afronta seu público", declarou Max, que recentemente fez uma palestra sobre a preservação do meio ambiente no encontro internacional Diálogos da Terra. Madonna cantou músicas de seu último CD, Hard Candy, e clássicos da carreira no espetáculo que teve duas horas de duração. No palco, bailarinos em coreografia perfeita, telões, cenografia apurada e até um Rolls -Royce branco. A música Candy Shop abriu o show. La Isla Bonita introduziu os ritmos latinos e Don't Cry For Me Argentina, com a imagem da bandeira do país exibida em três telões monumentais, emocionou todo o estádio. Miguel e Sheron, que já conheciam Buenos Aires, planejavam uma viagem romântica. "Essa foi a oportunidade perfeita, adoramos o convite pois estávamos querendo viajar juntos e namorar. O show foi ótimo, com um visual incrível, Madonna exibe uma forma de dar inveja", declarou a atriz. "O momento de que mais gostei foi quando começaram as canções mais latinas", completou Miguel. Os dois começam as gravações de trabalhos para a TV em janeiro. Sheron fará Milene na próxima trama das 7 da Globo, que tem o nome provisório de Caras e Bocas. Já o ator será o fotógrafo Dog, na novela Vendetta, da Record. Max concordou com Miguel. "As músicas latinas empolgaram. O estádio todo vibrou com Don't Cry For Me Argentina, uma linda homenagem. Achei incrível também ela interagir com a platéia. Pediu a uma menina que escolhesse uma música, a garota disse Like a Virgin e Madonna cantou, acompanhada por todo o estádio", afirmou Max. "O show vale pela grandiosidade. Ela vir para América Latina, depois de tantos anos, foi algo tão esperado como uma final de Copa do Mundo", completou o ator sobre a turnê que passa pelo Chile, antes de chegar ao Brasil.