Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Galãs treinam para fazer feio em campo nas gravações de ‘Lado a Lado’

Relativamente bons de bola, Rafael Cardoso, Caio Blat, Klebber Toledo e Daniel Dalcin estão se esforçando para fazer feio em campo. Em ‘Lado a Lado’, atores vão mostrar os primórdios do futebol no Brasil – época em que craques ainda não existiam

Redação Publicado em 23/09/2012, às 13h18 - Atualizado às 13h48

Rafael Cardoso e os companheiros de time Caio Blat, Klebber Toledo e Daniel Dalcin - Divulgação / TV Globo
Rafael Cardoso e os companheiros de time Caio Blat, Klebber Toledo e Daniel Dalcin - Divulgação / TV Globo

Era começo do século XX e ninguém dominava a arte da bola. O futebol, esporte originário da Grã-Bretanha, estava desembarcando gradativamente no Brasil e era praticado somente pela elite. A modalidade era uma grande inovação e muitos achavam que jogar futebol fazia mal à saúde. 

Para retratar esse acontecimento que mudaria, para sempre, a relação do país com o esporte, a novela Lado a Lado juntou um time formado pelos galãs Rafael Cardoso (26), Caio Blat (32), Klebber Toledo (26) e Daniel Dalcin (27), que estão treinando muito em um campo de futebol para, literalmente... pisar na bola!

“Na novela eu não posso jogar bem, porque ninguém sabia jogar naquela época. O personagem não quer saber das regras do futebol, mesmo assim ele já vai chamando o time para o campo sem saber direito como faz. Talvez por isso ele acabe se destacando", explicou Rafael Cardoso, talvez um dos atores que estão sofrendo mais nesse laboratório. O bonitão já foi jogador de futebol em categorias de base.

“A gente tinha que ser muito pereba mesmo”, completou Daniel Dalcin, garantindo que não joga nada de futebol.

Chateado mesmo ficou Caio Blat que, durante as gravações da trama, fez um lance lindo! “Eu recebi ali um cruzamento na área, veio perfeito, matei no peito e dei um chutão de bicicleta, foi o maior golaço. Mas a gente não poderia usar, porque só depois o Leônidas (Silva, jogador) iria inventar a bicicleta. A gente teve que observar o esporte da época, que tinha menos contato físico, era mais calmo”, afirmou.

O uniforme também era bem diferente naquela época. Assinada pelos figurinistas Beth Filipecki e Renaldo Machado, as roupas dos jogadores eram camisas de botão feitas de linho, bermudas de sarja, tudo branco, com chuteiras de couro pretas. Os rapazes ainda vestiam um blazer listrado e boné, retirados na hora do jogo. “A roupa era bem mais leve. O uniforme sintético de hoje é mais quente, gruda. O linho é bem mais fresco e chique. As chuteiras são lindíssimas, com travas de madeira. Eu usaria tranquilamente como sapato social, de tão chique que ela é. É muito legal ver a elegância da época nos uniformes”, disse Blat.

Já a bola preta usada em Lado a Lado é uma bola dos nossos dias, só que pintada para parecer antiga – o que garantiu o conforto dos rapazes. A produção de arte fica por conta de Nininha Médicis.