Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Françoise Forton recebe prêmio de Melhor Atriz no Rio

Namorada há seis meses do produtor Eduardo Barata, Françoise Forton vence como melhor atriz na festa internacional de Teatro de Angra

Redação Publicado em 29/11/2011, às 15h20 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

O abraço apaixonado de Eduardo Barata em Françoise. Vencedora na Fita, ela confraterniza com sua concorrente na categoria, Letícia Spiller, e com Nathalia Dill. - Renato Wrobel
O abraço apaixonado de Eduardo Barata em Françoise. Vencedora na Fita, ela confraterniza com sua concorrente na categoria, Letícia Spiller, e com Nathalia Dill. - Renato Wrobel

O momento de felicidade vivido por Françoise Forton (54), há seis meses namorando o produtor teatral Eduardo Barata (45), foi coroado com o reconhecimento por sua excelência profissional. A atriz, que completa 45 anos dedicado à arte em 2012, recebeu um tributo inédito na carreira pelo desempenho em Chopin & Sand – Romance Sem Palavras na noite de entrega do Primeiro Troféu Fita de Teatro. A premiação, no Sheraton Rio Hotel & Resort, aconteceu após a maratona de 60 espetáculos apresentados durante 17 dias na 8a edição da Festa Internacional de Teatro de Angra, no litoral fluminense. “Foi uma maravilha interpretar a peça em uma lona com 1500 pessoas. Elas ficaram emocionadas e nos aplaudiram de pé. Isso foi inesquecível para mim. A cada dia que faço e penso na escritora francesa George Sand, minha personagem, tenho mais vontade de saber sobre sua vida. É uma mulher que admiro, é forte e contemporânea”, disse ela, após receber a estatueta de Melhor Atriz, abraçada ao amado. “Eduardo é a minha paixão. Nós temos sintonia, lealdade. É uma pessoa que admiro profundamente como profissional e homem. E, antes de mais nada, é um companheiro e tanto”, realçou.

Logo após a premiação, a concorrente de Françoise, Letícia Spiller (38), por sua atuação no musical Outside, e a indicada na categoria Atriz Coadjuvante Nathalia Dill (25), que perdeu para Thais Tedesco, com quem contracenou em A Agonia do Rei, correram para abraçar a vitoriosa. “Estou aqui para comemorar com os amigos. O mais importante do festival é levar o teatro a quem não tem acesso. A Fita está de parabéns”, enalteceu Letícia. A atriz, no ar na novela Malhação, contou que finaliza um curta-metragem que produziu e atuou com Pedro (15), seu primogênito, da união com o ator Marcello Novaes (49). “O nome do filme é Joãozinho de Carne e Osso e fala dos medos de um menino. Pedro fez muito bem. Não falei nada, deixei-o livre”, completou a atriz, mãe também de Stella (10 meses), com o diretor de fotografia Lucas Loureiro (29).

O casal de humoristas Marcos Veras (31) e Julia Rabello (30) teve a tarefa de apresentar a grande noite da Fita, que tem como curador João Carlos Rabello (58). Entre os agraciados com o Troféu Ítalo Rossi, homenagem a um dos maiores nomes da arte brasileira, morto em agosto, aos 80 anos, estavam ainda artistas de diferentes gerações. Rodrigo Pandolfo (26) ganhou Melhor Ator por R&J de Shakespeare – Juventude Interrompida, e Ednei Giovenazzi (81), que atuou em A Agonia do Rei, recebeu o Prêmio Especial Conjunto da Obra das mãos de Jacqueline Laurence (79). “Sou dentista e desisti da odontologia para me dedicar ao teatro. Ser ator é um ato nobre. Tem uma doação muito grande. Depois de 55 anos de teatro, o prêmio me diz que acertei”, ressaltou Ednei na companhia da atriz Aracy Balabanian (71) e do deputado federal Fernando Jordão (59).