Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Filho de Chorão aprova o novo nome da banda Charlie Brown Jr.

Alexandre Abrão, filho do cantor Chorão, participou de homenagem para o pai no 'Altas Horas' e disse que torce pela nova banda com os músicos da Charlie Brown Jr.

Redação Publicado em 11/04/2013, às 17h16 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Alexandre Abrão aprova a banda A Banca - Reprodução / TV Globo
Alexandre Abrão aprova a banda A Banca - Reprodução / TV Globo

Filho do cantor Chorão (1970-2013) - vítima de overdose -, Alexandre Abrão está dando todo o seu apoio para a ex-banda de seu pai, a Charlie Brown Jr. Agora, os músicos decidiram escolher um novo nome e também ter uma nova integrante para continuarem animando os fãs pelo Brasil. O grupo passará a se chamar A Banca e recebeu a baixista Lena. "Acho que era isso mesmo que eles tinham que fazer. E não é porque eles trocaram de nome que eles não vão ter mais a essência do Charlie Brown. É uma coisa até que meu pai ia gostar de ver", afirmou ele, segundo o site do Altas Horas

“O Charlie Brown Jr. é inimaginável sem o Chorão, tanto para nós quanto para os fãs, mas a gente tem que continuar, são 20 famílias dependendo da banda. Nosso novo nome é A Banca, a banda do Charlie Brown. Voltar a cantar é o que o Chorão faria se tivesse acontecido isso com algum de nós e espero que a galera venha conosco”, contou Champignon, que assume os vocais.

Emocionado, Alexandre comentou que o novo clipe da banda, com a canção Novo Mundo, terá as imagens dos últimos cinco shows de Chorão, sendo que as últimas cenas foram feitas em Balneário Camboriú, Santa Catarina. "Fiz cerca de 400 gigas de imagem. Esse material vai sair em breve", afirmou. Questionado se tem planos para fazer alguma obra baseada na vida do pai, o rapaz declarou que não está pensando nisso. "Baseado na vida do meu pai eu acho meio difícil. Não consigo imaginar uma pessoa agindo como ele. É impossível alguém ser igual a ele, mesmo que seja um personagem. Mas eu pretendo continuar o trabalho dele"

Nesta quinta-feira, 11, a banda – formada por Champignon, Marcão, Thiago Castanho, Bruno Graveto e Lena – marcou presença na gravação do programa Altas Horas, da Globo. Eles subiram ao palco de Serginho Groisman (62) para prestar uma homenagem ao cantor Chorão na semana em que o artista completaria 43 anos de idade. A atração ainda terá a participação de Marcelo D2 (45), Dinho Ouro Preto (48), Negra Li (33) e Zeca Baleiro (47), que cantam sucessos como Samba Makossa, Não é Sério e Proibida Pra Mim. A homenagem deixou Alexandre, filho do artista, muito emocionado. Em um momento do programa, ele puxou a canção Lugar ao Sol com a plateia e não conseguiu segurar as lágrimas enquanto escutava o coro de vozes gritando o nome de seu pai: "Chorão, Chorão"

Outros famosos também estiveram presentes na gravação e deram seus depoimentos sobre Chorão e a banda Charlie Brown Jr. Márcio Garcia (42) adorou poder reencontrar o filho do cantor. "Nosso contato com a banda não é intenso, mas a gente vive se encontrando. Vi o Alexandre moleque e agora ele já é um homem! Estou muito feliz com a nova banda, A Banca. Acho que os fãs e quem ama o Chorão merece isso", disse. 

Bob Burnquist enviou uma mensagem diretamente de Los Angeles relembrando do cantor. "Nós estávamos em ascensão ao mesmo tempo e não nos encontrávamos muito. Ele tinha um grande amigo, que também era um grande amigo meu, e fomos apresentados. Ele era sincero demais e isso falta hoje em dia, gostava disso nele. Era aniversário da minha filha mais velha quando o Chorão morreu e era aniversário do Chorão quando esse nosso amigo, Wellington, morreu. É uma ligação muito forte, não achei que nossa amizade fosse ser tão forte, pois quase não nos víamos. O skate também fortaleceu essa ligação. Depois do DVD do Charlie Brown da MTV, eu fiquei ainda mais fã da banda"

Zeca Baleiro relembrou as parcerias com Chorão. "Nossos primeiros discos foram lançados no mesmo ano, 1997, apesar de ocuparem prateleiras diferentes nas lojas. Acompanhei a carreira deles desde o começo e, em 2000, fiz uma versão de 'Proibida Para Mim' mais calma, com violão e flauta. O Chorão falava que a minha versão era melhor que a da banda. Aí ele me chamou para cantar essa música no casamento dele. Aliás, o primeiro e único casamento no qual cantei. Ele me disse que a mulher dele gostava mais da minha versão do que a da banda. Depois foram muitas parcerias. Participei de um disco deles e o Chorão cantou uma música comigo, no meu disco mais recente". 

Marcelo D2 contou como conheceu o ex-vocalista. "Conheci o Chorão na época do skate, antes do Charlie Brown. Fomos fazer um show da Planet Hemp e um bando de loucos entrou no hotel falando: 'Caraca, vamos abrir o show de vocês'. Era o Chorão, na época ele ainda cantava em inglês. Ele sempre foi um grande amigo, o skate era o nosso elo. A primeira vez que nos vimos foi num campeonato de skate, na época ele fazia free style. Sempre foi grande e forte. Quando ouvi o apelido dele, fiquei com medo que fosse uma piada e desse confusão [risos]"

Lena, nova integrante da banda, revelou como está se sentindo com este novo passo em sua carreira. "Me sinto como fã, porque eles são meus ídolos. Sinto que não é normal estar tocando com eles, sempre os admirei muito e estou muito feliz de estar aqui", declarou. 

Pouco antes de cantar a música Novo Mundo, a música mais recente do Charlie Brown Jr., Champignon declarou: "Essa letra encaixa tanto com o que está acontecendo que parece que ele escreveu de lá, de onde ele está agora, um novo mundo"

Negra Li também esteve presente na homenagem. "Conheci eles em 1998-99. Chorão foi ver um show da banda RZO e foi no camarim para nos convidar para participar do álbum 'Nadando com os Tubarões'. Inicialmente, era para eu cantar uma música, um rap, mas estava difícil para eu fazer, não conseguia respirar direito. Isso aconteceu quando eu era novinha, fiz a música trancada no meu quarto. Hoje no almoço, quando vi toda a banda, deu muita vontade de chorar porque era para ele estar aqui. Sou muito grata pelo que ele me proporcionou, pena que não deu tempo de retribuir mais"