Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

'Febre do Rato' vence Festival Paulínia

Com oito prêmios, 'Febre do Rato', de Claudio Assis, sai como grande vencedor do Festival Paulínia de Cinema 2011. Selton Mello foi agraciado com o troféu de melhor direção e 'Onde Está a Felicidade', de Carlos Alberto Riccelli, agradou ao público

Redação Publicado em 15/07/2011, às 03h08 - Atualizado em 30/06/2012, às 11h53

Vencedores do Festival Paulínia de Cinema - Orlando Oliveira / AgNews
Vencedores do Festival Paulínia de Cinema - Orlando Oliveira / AgNews

A quarta edição do Festival Paulínia de Cinema premiou, na noite desta quinta-feira, 14, no interior de São Paulo, o longa-metragem Febre do Rato, do diretor Claudio Assis, como o melhor filme de 2011. "Quero agradecer Paulínia por este prêmio. Faço filmes para conquistar o público, para dialogar com as pessoas que eu amo", declarou o cineasta ao receber seu prêmio no palco.

Além de melhor filme, o longa ainda recebeu outras sete estatuetas nas categorias melhor fotografia, melhor montagem, melhor trilha sonora, melhor direção de arte, melhor ficção (segundo o júri de críticos do festival) e ainda melhor ator e atriz para Irandhir Santos eNanda Costa(20), respectivamente.

"Fazer cinema com Claudio Assis é aprender, olhar o mundo de maneira honesta, direta. Quero sempre montar histórias ao lado dele", discursou Irandhyr, que subiu ao palco logo após Nanda Costa receber seu prêmio. "Quando eu li o roteiro, lembrei de uma frase de Clarice Lispector: 'Depois do medo, vem o mundo'. Esse prêmio é nosso", disse a atriz, que atualmente está no ar com a novela Cordel Encantado.

O filme O Palhaço, de Selton Mello (38), que ao lado de Febre do Rato foi apontado como um dos favoritos da noite, rendeu ao astro o prêmio de melhor direção. "É uma honra receber esse prêmio. Como ator eu tenho 30 anos, mas como diretor eu tenho muito feijão para comer ainda. E eu quero isso. Estou muito afim de falar minha verdade por aí, de contar minhas histórias e meus anseios. Muito obrigado". O Palhaço recebeu, ainda, o prêmio de melhor roteiro, melhor figurino e melhor ator coadjuvante para Moacyr Franco (74), que faz uma pequena, mas muito elogiada e aplaudida, figuração no filme.

Onde Está a Felicidade, com direção de Carlos Alberto Riccelli (65) e com Bruna Lombardi (58) no elenco, recebeu as graças do público ao levar melhor filme segundo o júri popular. "O voto do público é o melhor voto que qualquer filme pode ter. Eu cresci no meio da mágica do cinema, cheio de altos e baixos, e hoje a gente vê um cinema em que podemos nos orgulhar. Esse prêmio vai para o público. Super obrigada!", afirmou Bruna no palco. A atriz Maria Pujalte, de Onde Está a Felicidade, também saiu premiada, recebendo a estatueta de melhor atriz coadjuvante.

O prêmio de melhor documentário foi para Rock Brasília, de Vladimir Carvalho, que conta a história do rock oitentista nascido na capital brasileira, citando banda importantes do cenário musical como Legião Urbana, Capital Inicial, entre outros. A cineasta Lúcia Murat, que dirigiu o documentário ficcional Uma Longa Viagem, com participação do ator Caio Blat (31), foi contemplada com o troféu de melhor documentário segundo júri dos críticos. "Esse documentário é muito pessoal, e eu me senti reconfortada em apresentá-lo aqui; obrigada pelo carinho", disse.

O júri dos críticos ainda premiou o curta-metragem Tela, com Mariana Ximenes (30) e Luís Miranda (41) em seu elenco. Tela recebeu ainda o prêmio de melhor filme de 2011 segundo o júri oficial de curtas-metragens. O longa-metragem Trabalhar Cansa, que foi exibido no Festival de Cinema de Cannes este ano, levou o prêmio especial do júri oficial do festival.

Confira todos os vencedores:

Filmes de Longa Metragem

Melhor Filme Ficção: Febre do Rato, Claudio Assis

Melhor Documentário: Rock Brasilia – era de ouro, Vladimir Carvalho

Melhor Diretor Ficção: Selton Mello – O Palhaço

Melhor Diretor Documentário: Maíra Buhler e Matias Mariani – Ela Sonhou Que eu Morri

Melhor Ator: Irandhyr Santos – Febre do Rato

Melhor Atriz: Nanda Costa – Febre do Rato

Melhor Ator Coadjuvante: Moarcyr Franco – O Palhaço

Melhor Atriz Coadjuvante: Maria Pujalte – Onde Está a Felicidade?

Melhor Roteiro: Selton Mello e Marcelo Vindicatto – O Palhaço

Melhor Fotografia: Walter Carvalho – Febre do Rato

Melhor Montagem: Karen Harley – Febre do Rato

Melhor Som: Trabalhar Cansa – Gabriela Cunha, Daniel Turini e Fernando Henna

Melhor Direção de Arte: Renata Pinheiro – Febre do Rato

Melhor Trilha Sonora: Jorge Du Peixe – Febre do Rato

Melhor Figurino: Kika Lopes – O Palhaço

Especial do Júri: Trabalhar Cansa

Curtas Regionais

Melhor Filme: Diego Costa, Argentino

Melhor Direção: Diego Costa, Argentino

Melhor Roteiro: Cauê Nunes e Maurício de Almeida, 3 x 4

Curtas Nacionais

Melhor Filme: Carlos Nader, Tela

Melhor Direção: Gabriela Amaral Almeida, Primavera

Melhor Roteiro: Gustavo Suzuki, O Pai Daquele Menino

Júri Popular

Melhor Longa Ficção: Carlos Alberto Riccelli, Onde Está a Felicidade?

Melhor Documentário: Damià Puig, A Margem do Xingu – Vozes Não Consideradas

Melhor Curta Nacional: Thiago Luciano, Café Turco

Melhor Curta Regional: Diego Costa, Argentino

Júri da Crítica

Melhor Longa Ficção: Claudio Assis, Febre do Rato

Melhor Documentário: Lucia Murat, Uma Longa Viagem

Melhor Curta Nacional: Carlos Nader, Tela