Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Faceta de porcelana pode devolver o sorriso e melhorar a autoestima

Redação Publicado em 19/03/2013, às 11h05 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

.
.

Diz-se que os dentes, junto com o rosto, são o “cartão de visitas” de uma pessoa. Os dois são realmente importantes. E ganham cada vez mais importância no mundo atual, quando os homens e as mulheres aumentam os cuidados com a beleza corporal, incluindo os dentes. Estes, aliás, ao longo da vida, em decorrência de cáries, restaurações, desgastes naturais e traumas, vão escurecendo e mudando de tamanho e forma. Grande  parte das pessoas vê como naturais tais alterações e leva a vida adiante. Uma outra parte, contudo, se incomoda muito, se sente diminuída e até apresenta problemas de autoestima. Mas hoje já podem superálos com tratamentos cosméticos como o clareamento e/ou as facetas.

A faceta foi criada e aperfeiçoada ao longo das últimas décadas. Trata-se de uma lâmina de 1,2 milímetro a 1 milímetro que, colada com “cimento” resinoso na parte da frente dos dentes, permite corrigir sua coloração, sua forma, posição, tamanho e até padronizar o espaço entre eles. As facetas destinam-se a adultos, não a crianças e adolescentes, cujos dentes ainda estão em desenvolvimento.

Há facetas de resina e de porcelana. Cada uma tem indicações específicas de uso. As de porcelana têm a vantagem de apresentar brilho e polimento muito semelhantes aos dos dentes naturais e resistência ao manchamento por bebidas, alimentos e cigarro, além de se desgastarem menos do que as de resina. Mas não devem ser indicadas a quem tem bruxismo, por exemplo, doença que se caracteriza pelo ranger dos dentes ao dormir.

Adultos que têm dentes escurecidos e sofrem com isso devem consultar um especialista em prótese dentária para saber se as facetas são indicadas para o seu caso. Se não conhecem nenhum desses profissionais, o ideal é que escolha um com o qual algum amigo ou familiar já tenha realizado o tratamento.

O diagnóstico consiste em examinar e radiografar os dentes do paciente para saber se estão aptos ao tratamento. A colocação de facetas, vale destacar, é a última etapa de um tratamento dental. Não se faz isso com dentes que apresentam problemas e/ou doenças.

As facetas são indicadas para os dentes anteriores. Não se deve colocá-las nos posteriores, que são os mais sobrecarregados pela mastigação e elas se quebrariam. No caso deles, pode-se chegar à coloração das facetas por meio de clareamento ou pela colocação de coroas.

De modo simplificado, as facetas são feitas assim: o dentista tira um molde dos dentes do paciente e manda a um laboratório protético. Este projeta o que o especialista solicitou e lhe envia um modelo com provisórios de resina ou de outro material para que teste no paciente e mostre como a estética irá ficar. Aprovado o modelo, o laboratório produz facetas provisórias. O dentista faz o preparo dos dentes com desgaste de 1/2 a 1 milímetro e cola as facetas provisórias. O modelo de dentes é enviado ao laboratório, que confecciona as facetas de porcelana e devolve ao dentista em cerca de uma semana para que as instale com a cola. Se o paciente cuida bem da higiene bucal, as facetas não aumentam o risco de cáries, nem de infecções e outros problemas.

Uma novidade nessa área, finalmente, são as “lentes de contato”, mais finas e que não requerem desgaste dos dentes para a colocação. Mas as indicações delas são mais limitadas.