Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS

Dado Dolabella: 'Se fizesse algo diferente, não teria aprendido o que aprendi'

Prestes a voltar às novelas, Dado Dolabella conversa com a CARAS Online e fala sobre seu passado polêmico: 'Tudo serviu para o meu crescimento'

Claudia Dias Publicado em 04/04/2012, às 09h01 - Atualizado em 12/07/2012, às 11h32

Dado Dolabella - Anderson Borde / AgNews
Dado Dolabella - Anderson Borde / AgNews

Aos 31 anos, com três filhos, processos na Justiça e uma fama imensa de bad boy, Dado Dolabella se considera uma pessoa feliz. De volta à televisão com o personagem Eduardo, em Máscaras, a próxima novela da Record, ele diz que não liga para a fama de irresponsável e não está nem aí para o que falam dele. E também não se arrepende de nada do que fez. "Se fizesse algo diferente, não teria aprendido o que aprendi", desabafou.

Pai de Eduardo (2), fruto de um romance com a estudante Fabiana Vasconcelos Neves (25), João Valentim (2), do casamento com Viviane Sarahyba (28), e Ana Flor (5 meses), do atual casamento com a produtora musical Juliana Wolter (25), Dado diz que nunca imaginou ter tantos filhos com essa idade. “Jamais. Mas, estou curtindo muito. Eles são a minha vida. São tudo pra mim.”

- Depois da paternidade, o que mudou na sua vida?

- Apesar de algumas pessoas dizerem o contrário, sempre fui um cara muito responsável e preocupado com o meu trabalho. O meu ofício é a coisa que eu tenho de mais importante na minha vida. É o que vai me fazer continuar vivo e alimentando a mim e aos meus filhos. Para mim, isso sempre foi muito importante, até porque eu perdi meu pai muito cedo. Não sou perfeito, nunca fui, ninguém é. Mas, acho que a paternidade ajuda a te dar essa noção de responsabilidade, essa noção de compromisso.

- De um tempo para cá, você passou por muitas coisas. De que forma encarou todos esses problemas?

- A tempestade quando vem, nunca aparece com uma única nuvem. Mas, também depois, vem a bonança. Foi maravilhoso passar por todos os problemas. Eu aprendi, não me arrependo de nada que eu tenha feito. São coisas que eu vivi no passado e me ensinaram a não dar mais mole com certas coisas ou certas pessoas.

- Mas, você apanhou um bocado da vida...

- Você só lembrou das porradas, mas ao mesmo tempo, vieram coisas maravilhosas. Para mim, as coisas boas são muito mais bacanas do que as coisas ruins que aconteceram. A vida da gente é assim. Ninguém está nunca 100% feliz.

- Faria algo diferente?

- Se fizesse algo diferente, não teria aprendido o que eu aprendi. Tudo serviu para o meu crescimento.

- Como pretende apagar o rótulo de bad boy?

- Não me preocupo com isso, porque não fui eu que criei. Eu estou tranquilo. Minha família, os meus amigos da minha vida, ninguém me enxerga como bad boy. E eu não me sinto assim perante a eles.

- Como está a vida agora?

- Estou casado, morando com a Juliana, que é a mãe da Ana Flor. É minha parceirona, me ajuda muito no meu trabalho. Estou apaixonado, feliz, trabalhando, com a vida organizada, as coisas estão acontecendo.

- Mas, você está voltando à televisão depois de dois anos afastado.

- É a volta do que não foi. Até rolou uma história sobre eu estar de férias. No Brasil, um ator não fazer novela, quer dizer que ele está de férias. Eu fiz um monte de coisas nesse tempo. Me dediquei mais à música.

- Quais são os seus projetos na música?

- Estou fazendo muitos shows, mas isso acontece mais aos finais de semana. Até o fim do ano, devo estar lançando um disco novo. Estou com muitas músicas inéditas, umas parcerias muito bacanas.