Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

D. LILY ABRE MÃO DE SUAS LEMBRANÇAS

SOCIALITE DECIDE LEILOAR MÓVEIS, OBRAS DE ARTE E JÓIAS DE SEU VALIOSO ACERVO

Redação Publicado em 16/05/2008, às 18h08

D. LILY ABRE MÃO DE SUAS LEMBRANÇAS - Ivan Faria
D. LILY ABRE MÃO DE SUAS LEMBRANÇAS - Ivan Faria
por Angie Diniz Entre móveis, porcelanas, pratarias e quadros, que serão leiloados até sábado, 17, por Evandro Carneiro (61) no Atlântica Business Center, Rio, d. Lily Marinho (87) se deteve diante da cômoda-papeleira em jacarandá, do século XVIII/XIX, avaliada em 62 000 reais, e se emocionou. "Adorava participar de leilões. E essa foi a peça que mais disputei. Tinha certeza de que seria minha", contou na exposição dos objetos à venda. "Me dá vontade de comprar tudo de novo", disse a dama da sociedade carioca diante da tela do século XVIII Composição com Figuras, Peixes e Frutos do Mar (9200 reais), de Jean Bonté, e do seu retrato pintado em 1961 por Dimitri Ismailovitch (1892-1976), preço inicial de 26000 reais. As peças, mais de 2000 estimadas em 15 milhões de reais, estavam em duas fazendas em Conservatória e Vassouras, RJ, e em um apartamento na Av. Atlântica, em Copacabana. "Estou espantada como tudo isso cabia nas minhas fazendas", comentou Lily, que foi casada com Horácio de Carvalho morto em 1983, dono do antigo jornal Diário Carioca, e Roberto Marinho (1904-2003), das Organizações Globo. A socialite também resolveu se desfazer em leilão na Sotheby's de Genebra, Suíça, de jóias - 60 lotes, no total de cerca de 17 milhões de reais. Uma delas, presente do último marido, é um par de brincos de diamantes com pingente em forma de pêra de 20 quilates. "Não posso dizer que seja uma alegria vendê- las, mas é por boa causa. Quero ficar tranqüila de saber que, após minha morte, não terá briga por herança. Acho que só tenho mais três anos de vida. Pensei no meu filho e netos", disse a mãe de João Baptista (44) e avó de Philippe (21), Gabriel (11), Anthony (10) e João (4), acompanhada do ortopedista Carlos Giesta (71) e dos montadores da exposição, Porphírio Lopes (71) e Darcancy Teixeira (55). O dinheiro arrecadado será gerido por um banco para garantir o futuro do clã. "São mais de 60 anos da história de Lily leiloados", lembrou o amigo Romaric Büel (53).