Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Cozinha: Castanha-do-Pará

Redação Publicado em 02/05/2011, às 13h05

Cozinha: Castanha-do-Pará - ANDRÉ CTENAS
Cozinha: Castanha-do-Pará - ANDRÉ CTENAS
Muitos a chamam também castanha-do-brasil, castanha-da-amazônia, turiri ou tocari. É produzida pela árvore Bertholletia excelsa, que está entre as mais valiosas da floresta amazônica. Ela tem caule cilíndrico de casca dura e lisa desprovido de ramos até a altura da copa, que se abre no alto. Atinge 50 metros de altura e frutifica de dezembro a maio. Suas folhas oblongas são grandes, coriáceas, de cor verde-clara brilhante na parte de cima e pálida na de baixo. As flores são grandes e claras e os frutos, enormes cápsulas lenhosas e esféricas, também chamadas ouriços. As sementes oleaginosas, de casca dura, abrigam 15 a 24 castanhas comestíveis, que ficam agrupadas dentro da cápsula. A compressão no interior da cápsula, conforme crescem, faz com que adquiram o formato de gomos marrons-escuros e ligeiramente rugosos com três arestas e lados quase planos. Além da amêndoa, a castanheira fornece madeira, usada na construção civil e naval; óleo, utilizado na cozinha, na aviação e na fabricação de cosméticos; farinha, obtida do resíduo da extração do óleo e usada em misturas com farinha de trigo para a confecção de pães ou como ração animal. E com a cápsula se faz artesanato. De grande valor econômico para o Norte, após a madeira a castanha é o principal produto extrativo do Pará. As castanhas-do-pará são colhidas do chão. Pela alta concentração de proteínas, vitaminas e minerais, é chamada também carne vegetal. No Norte, usa-se a castanha sobretudo como guloseima e para o preparo de bolos, tortas e bombons. Lascas podem ir sobre filés de peixe. Em pedacinhos, entra em recheios para aves e lombo suíno. Moída, é ingrediente de bolos, sorvetes, musses e balas. SaúdeÉ bom para Usar como fonte de selênio, mineral que, junto com a vitamina E, atua no combate aos radicais livres; e consumir como fonte de proteínas, de fibras, cobre, magnésio e fósforo. É ruim para Ser consumida de maneira exagerada, porque a alta concentração de selênio é tóxica, podendo causar fadiga muscular, enfraquecimento das unhas e queda de cabelo. Ficha técnica 100g de castanha-do-pará contêm: Calorias - 656 Proteínas - 14,3 g Carboidratos - 12,8 g Gordura - 66,2 g Fibras - 8,93 g Vit. B1 - 1 mg Vit. E - 7,57 mg Cálcio - 176 mg Cobre - 1,77 mg Ferro - 3,4 mg Magnésio - 225 mg Fósforo - 600 mg Potássio - 600 mg Selênio - 1084 mcg Sódio - 2 mg Zinco - 4,59 mg Como se escolhe Encontra-se castanha com ou sem a casca. Se ambas estiverem frescas, compre as com casca, que duram mais. Mas é difícil saber se estão frescas, pois as cascas não se alteram. De todo modo, veja se estão pesadas para o tamanho e se não têm furos de insetos ou pó no fundo da embalagem. Já as castanhas sem casca frescas são firmes, claras e com odor suave. As velhas têm odor rançoso, cor mais escura e podem estar murchas ou ressecadas. Evite se apresentarem sinal de mofo, pois indica descuido na colheita e no armazenamento, além de contaminação por outros fungos não visíveis. Guarde na geladeira ou no congelador que duram mais. Como se prepara Para que as castanhas saiam inteiras da casca, lave-as, ponha em panela com água, leve ao fogo e ferva por 3 min. Tire e escorra. A casca estará menos dura e basta quebrá-la com um quebra-nozes que a castanha se solta inteira. Outro método para extraí-las sem danificá-las é deixá-las no congelador por 3 horas. Quebre-as sobre uma superfície de trabalho firme, forrada com pano para que não escorreguem. Assim, estarão prontas para usar. Para se fazer lascas, ferva as castanhas sem casca por 3 min e fatie fino com faca. Então, espalhe as fatias numa assadeira e asse no forno preaquecido em temperatura média só até ficarem secas. Minha receitaTiciane Pinheiro (modelo, atriz e apresentadora) Foi minha cozinheira, Maria José dos Santos, quem me ensinou a fazer este bolo de castanha-do-pará. Ponha 3 ovos na tigela da batedeira. Junte 2 xíc. de açúcar e 1 xíc. de margarina. Bata até formar um creme fofo. Reserve. Peneire 3 xíc. de farinha de trigo. Incorpore a ela 1 col. (café) de fermento em pó Royal. Junte a mistura de farinha e fermento ao creme da batedeira. Vá colocando aos poucos 1 xíc. de leite e batendo. Incorpore 1 xíc. de castanha-do-pará processada. Mexa. Reserve. Unte uma forma com buraco no centro com margarina e polvilhe farinha. Junte a massa. Asse por 40 min em forno preaquecido a 180 graus. Gosto assim. Mas, se você preferir, cubra com leite condensado engrossado e junte castanha fatiada.