Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

CLAUDIA RAIA E SUA MUSA INSPIRADORA: MADONNA

Com Edson Celulari e o filho, Enzo, ela recebe celebridades na estréia da turnê brasileira

Redação Publicado em 17/12/2008, às 15h23 - Atualizado às 16h54

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
O Rio de Janeiro parou para re verenciar Madonna (50). E nem mesmo a chuva torrencial que desabou sobre a cidade na noite de domingo, 14, estragou a festa da grande diva da música pop. Com meia hora de atraso, às 20h30, ela começou a transformar o templo do futebol, o Maracanã, em uma enorme pista de dança. Mais de 70000 pessoas aplaudiram, gritaram e se emocionaram com os sucessos dos 25 anos de carreira da Material Girl. "A chuva está ok? Posso continuar mesmo assim?", perguntou ela, que há 15 anos não se apresentava no país. A turnê Sticky & Sweet impressiona pelos seus números. Foram necessários cinco dias, com as equipes se revezando ininterruptamente no trabalho, apenas para montar o palco, de 83 metros de largura por 42m de profundidade, além da passarela de 17m que leva a outro palco, menor. Madonna conta ainda com 28 bailarinos e 3500 figurinos. A grandiosidade empolgou a platéia carioca. Quando as luzes do Maracanã se apagaram e os acordes de Candy Shop começaram, o silêncio traduzia a expectativa dos fãs. Uma parede do palco começou então a girar e surgiu a cantora, sentada em uma poltrona, com as pernas abertas e smoking composto apenas por maiô e casaca. Madonna foi ovacionada. Gritos histéricos se misturavam a declarações de amor. Uma das mais animadas era a atriz Claudia Raia (42). Madrinha do Lounge Vip da Renner no estádio, ela chegou acompanhada por seus dois "maridos": Edson Celulari (50), parceiro na vida real, e Carmo Dalla Vecchia (38), com quem é casada na trama de A Favorita. Claudia ainda levou o filho Enzo (11). "Eu e ela temos uma energia muito parecida. Somos mãe e produtoras", disse a atriz. Já Tânia Mara (25) confessou que sonhava ser Madonna. "Quando tinha oito anos, fazia jazz e a imitava, com maiô e tudo", disse ela, mulher do diretor Jayme Monjardim (52), orgulhosa por manter intacta sua admiração. Além das músicas da cantora americana, a capacidade de Madonna de se reinventar era unanimidade entre os convidados vips do Lounge. "Nunca vi um show dela e queria conferir este mito. Os anos passam, mas ela é sempre idolatrada porque não pára de mudar", disse o ator Murilo Rosa (38), sozinho. "Ela está em Nova York a trabalho", avisou logo, referindo-se à mulher, a top Fernanda Tavares (28). O espaço também recebeu os atores Leona Cavalli (38), Giovanna Gold (44), Mila Moreira (59), Guilherme Piva (41), Malvino Salvador (32), Rosamaria Murtinho (73) e os casais Rogério Flausino (35), do Jota Quest, e Ludmila (27), Vera Holtz (56) e Charles de Azevedo (37), e Angelita Feijó (39) com Wan Rouxinol (32). Vencedora de nove prêmios Grammy, dois Oscar e dois Globos de Ouro, Madonna entrou para o livro dos recordes como a artista feminina mais bem sucedida de todos os tempos, com fortuna estimada pela Revista Forbes em um bilhão de dólares. Durante toda a carreira, a cantora extrapolou sua influência além do meio musical, como lembrou o estilista Carlos Tufvesson (40). "Ela é um ícone da moda, provocou uma mudança nos figurinos, assim como Matrix marcou uma mudança visual no cinema. Ela inovou ao usar o sutiã pontudo, criado por Gaultier . Mas vai além. Não apenas usa a roupa, a interpreta", acrescentou Tufvesson. A disposição da cantora no palco durante duas horas de espetáculo e sua excelente forma, com barriga tipo tanquinho, pernas torneadas e braços mais musculosos do que nunca, chamaram a atenção. E nem mesmo a pequena queda no palco molhado estragou a festa. Miguel Falabella (50), autor de Negócio da China, afirmou que ela é um exemplo de auto-estima para o sexo feminino. "Geralmente, as mulheres de 50 anos são jogadas de lado. Não há nem muitos papéis em novelas para essa idade. Mas Madonna faz uma homenagem a elas. Além de estar inteiraça, continua sendo objeto de desejo dos homens", constatou. Ney Latorraca (64) fez coro. "Ela é a última grande estrela pop do planeta. Com a globalização, dificilmente surgirá outra", afirmou o ator. "Aos 50 anos, ela é uma máquina", completou a atriz Flávia Monteiro (36). Ao interpretar hits como Vogue e Like a Prayer, Madonna contagiou Alessandra Negrini (38). "Ela mostra no palco a verdade. É um ícone, tem uma conexão com a modernidade", assegurou a atriz, que por pouco não esbarrou com Murilo Benício (37), pai de seu filho, Antônio (10). Outro ex casal que quase se encontrou foi Luana Piovani (32) e Dado Dolabella (28). O ator parecia tranqüilo e chegou com amigos, entre eles, Eliza Joenck (25), com quem se relacionou. Luana ficou o tempo todo de romance com o atual namorado, o empresário Felipe Simão (27). A atriz, que havia assistido com Dado ao mesmo espetáculo em setembro, na Holanda, era pura agitação. "Só quero saber de dançar a noite inteira", afirmou ela, que também quase esbarrou com outro ex, Rodrigo Santoro (33), que estava com a irmã, Flávia (29), e o pai, Francesco (58). "É a primeira vez que vejo a Madonna. E essa chuvinha só deu um tempero a mais", garantiu. Samantha Schmütz (29), o Juninho Play, do Zorra Total, expert em imitações, admitiu que não seria difícil se inspirar na musa pop para criar um personagem. "Sou morena, poderia fazer a 'Quei madonna'", brincou a comediante, com o novo affaire, Michael Nunes (20). Além do privilegiado acesso à frente do palco, os convidados do Lounge Vip da Renner contaram com outros mimos. Antes de seguir para o show, astros como Rafael Calomeni (36), Eriberto Leão (36), Claudia Abreu (37), Maitê Proença (48), Renata Sorrah (61), Daniel Filho (71), Nelson Motta (63), Thiago Fragoso (27), Ary Fontoura (75), André Ramos (33), Bruno Chateaubriand (33), Dalton Vigh (44), Débora Bloch (45), Ricardo Waddington (48), Paula Burlamaqui (41) e o namorado, Daniel Alvim (34), foram recepcionados no Meeting Point, no Museu de Arte Moderna, por Luciane Franciscone (38), gerente-geral de Marketing da Renner. "É a primeira vez que a empresapa trocina um show internacional. Começamos com Madonna porque, assim como a Renner, ela é lançadora de moda", afirmou a executiva. No espaço, as estrelas se produziam para o show e recebiam a camiseta-convite criada pela estilista Juliana Jabour (31). Além de customizá la, podiam enfeitá-la com bottons da estrela. Do make up, com Bruno Padovan (26), trazido especialmente pela Lancôme, ao hair stylist Evandro Ângelo (36), todos se inspiraram na cantora para produzir os vips. "Brincamos com as várias fases. Fiz muitos frisados, visual atual de la, e alguns rabos-de-cavalos", disse Evandro. "Usei muita cor nos olhos e máscara nos cílios", acrescentou Padovan. O bufê, assinado por Pedro de Artagão (30), dorestaurante Laguiole, também aderiu ao clima da noite. "Criei pratos variados para o eclético público. Não são pesados, mas alimentam", disse sobre delícias como crepe de bacalhau e massa com queijo italiano.