Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Citações

“Copacabana vive, por semana, sete domingos.” Nelson Rodrigues (1912-1980), escritor, dramaturgo e jornalista pernambucano.

Redação Publicado em 05/07/2011, às 17h05 - Atualizado às 17h05

.
.

“De fome não se morre/ Neste Rio de Janeiro/ Ser malandro é um capricho/ De rapaz solteiro.”
Noel Rosa (1910-1937), compositor carioca.

“Creio que a verdade é perfeita para a matemática, a química, a filosofia, mas não para a vida. Na vida contam mais a ilusão, a imaginação, o desejo, a esperança.”
Ernesto Sábato (1911-2011), escritor e pintor argentino.

“Em lugar de estabelecer fatos, temos de superar erros. Em vez de afirmar o que é, devemos perseguir em nossa imaginação o que não é.” 
Frances Wright (1795-1852), editora e feminista norte-americana.

“A História é escrita por maus romancistas.”
Norman Mailer (1923-2007), escritor norte-americano.

“Escreve claro quem concebe ou imagina claro.”
Miguel de Unamuno (1864-1936), educador e filósofo espanhol.

“Sê paciente, espera que a palavra amadureça e se desprenda como um fruto ao passar o vento que o mereça.”
Eugénio de Andrade (1923-2005), poeta português.

“Eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida.”
Clarice Lispector (1920-1977), escritora brasileira nascida na Ucrânia, no livro Clarice, de Benjamin Moser (Cosac e Naify).

“Acho que a literatura, tal como as artes plásticas e a música, é uma das grandes consolações da vida, e um dos modos de elevação do ser humano sobre a precariedade da sua condição.”
Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), poeta mineiro.

“Ninguém pode fugir ao amor e à morte.”
Publilius Syrus (século I a.C.), escritor latino.

“Melhor me dou sem despedida/ Para evitar/ Dar certidão de minha ausência/ Se eu procurar/ Onde a deixei vou encontrá-la/ Suponho eu/ É assim que nunca sinto falta/ De quem morreu.”
Emily Dickinson (1830-1886), poeta norte-americana.

“Um poeta é um ser alado e sagrado, todo leveza, e somente capaz de compor quando saturado do deus e fora do juízo (...). Enquanto não atinge esse estado, qualquer pessoa é incapaz de compor versos.”
Platão (427-347 a.C.), filósofo e matemático grego.

“Um poema só termina por acidente de publicação ou de morte do autor.”
Mário Quintana (1906-1994), poeta gaúcho.

“Ó vento,/ Sendo ora inverno, tarda a primavera?”
Percy Bysshe Shelley (1792-1822), poeta e escritor inglês.

“Que te diz o vento que passa?/ Que é vento e que passa,/ E que já passou antes,/ E que passará depois.”
Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa (1888-1935), poeta português, no livro Fernando Pessoa — Uma Quase Autobiografia (Record).

“Com o tempo, o esquecimento e a indiferença sobem das profundezas do indivíduo para destruir tudo aquilo que o ser humano julgara eterno e inamovível.” 
M. Proust (1871-1922), escritor francês, autor de Em Busca do Tempo Perdido.

“Diante de coisa tão doída/ conservemo-nos serenos./ Cada minuto de vida/ nunca é mais, é sempre menos.”
Cassiano Ricardo (1895-1974), jornalista, poeta e crítico paulista.

“Quem deseja fazer emprego sério da vida deve sempre agir como se fosse viver por muito tempo e comportar-se como se fosse morrer proximamente.”
Paul-Émile Littré (1811-1881), dicionarista francês.