Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

César Menotti e Fabiano celebram sucesso de carreira e novo álbum. ‘Nosso melhor projeto’

Precursores do sertanejo universitário, César Menotti e Fabiano gravam trabalho no Rio. 'Queríamos que a música sertaneja subisse o morro carioca', diz César

Laís Oliveira Publicado em 02/04/2013, às 21h35 - Atualizado em 30/07/2020, às 15h18

César Menotti & Fabiano fazem única apresentação em São Paulo - Manuela Scarpa / Photo Rio News
César Menotti & Fabiano fazem única apresentação em São Paulo - Manuela Scarpa / Photo Rio News

Eles estão na estrada desde pequenos, quando seu pai migrava de cidade a cidade em viagens a trabalho. Os irmãos César Menotti (31) e Fabiano (35), que quando crianças cantavam para as visitas, hoje levam sua música para o mundo e comemoram o sucesso dos dez anos de carreira com o CD e DVD No Morro da Urca, gravado no Rio de Janeiro. “Sem dúvidas este foi o nosso projeto até agora, em todos os aspectos", vibrou César em entrevista à CARAS Online nesta terça-feira, 2.

“Escolhemos fazer este trabalho especial no Rio de Janeiro porque esta é a única capital que não foi influenciada pelo interior. Queríamos que a música sertaneja subisse o morro carioca. E deu muito certo, graças a Deus”, festejou o músico. “Gravamos num lugar inusitado, fomos a primeira dupla a tocar no teatro do Morro da Urca, e no ano em que o bondinho fez 100 anos, foi especial”, argumentou.

Considerados os precursores do sertanejo universitário, César Menotti e Fabiano defendem o estilo musical com veemência, mas, acima de tudo, com muito talento. “Nós apresentamos a música como ninguém tinha feito antes. Não dá pra negar que os universitários foram os maiores divulgadores da nossa carreira, mas a gente não se rotula, nossa música é feita para o universitário, o médico, o caminhoneiro”, afirmou César.

“A resposta do nosso trabalho bem sucedido é o carinho do nosso público. É a nossa realização ter esta grande família em qualquer lugar aonde a gente vai”, vibrou César, que lembra com carinho da infância, em que já cantava com o irmão. “Sempre que chegava visita lá em casa meu pai nos chamava para fazer um showzinho. Eu, o Fábio e o Fabiano. Se hoje somos artistas é por causa do meu pai, que já projetava esse futuro pra nós desde que éramos crianças”, emocionou-se ao lembrar do falecido pai, Toninho de Ouro, falecido em 2011.

“Como somos filhos de garimpeiro, passamos a infância viajando, não criamos raízes profundas, sem se apegar aos lugares, então viajar sempre foi uma coisa muito comum”, citou César, que hoje roda o Brasil e o mundo levando sua música.  “A gente procura fazer algo lá fora pelo menos uma vez por ano. Em agosto devemos começar uma turnê pela Europa”, adiantou ele, que agora divulga o novo trabalho em terras brasileiras.