Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Celico: 'Me descobri como cantora'

Durante coletiva de imprensa do lançamento do seu CD e DVD, Caroline Celico afirmou que não considera seu álbum gospel e declarou que gosta de bandas como U2, ColdPlay e Sting

Redação Publicado em 21/07/2011, às 14h08 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Carol Celico: novidade do dia - Celso Akin/AgNews
Carol Celico: novidade do dia - Celso Akin/AgNews

Na manhã desta quinta-feira, 21, mulher do jogador de futebol Kaká (29), Caroline Celico (23), realizou coletiva de imprensa do lançamento do seu CD e DVD, intitulado com o próprio nome da cantora, no Hotel Unique, em São Paulo. Durante o evento, ela falou das músicas que gravou ao lado do marido e de Claudia Leitte (31), além de contar o que pretende transmitir com a produção do álbum.

“O disco não é promover a paz mundial, mas trazer paz para vida das pessoas. Começou com uma mudança em mim em janeiro de 2009 e vi que eu queria falar sobre o amor, sobre o perdão e fazer bem para o próximo”, afirmou. “Com esse trabalho eu quebrei uma barreira, que era cantar e colocar meu rosto em publico. Antes de namorar o Kaká, já havia recebido convite para ser modelo, mas sentia que não era minha praia. E hoje encontrei o meu lugar, que é uma forma de passar essas mensagens de amor. A idéia é passar toda a verdade que eu sinto”, acrescentou.

Carol também falou de como foi seu início na música e o que precisou fazer para interpretar as canções com precisão. “Sou apaixonada pela música desde criança, mas nunca tinha cantado. Tive que me descobrir como cantora. Fiz Fonoaudióloga, exercício de respiração e tive que aprender mais sobre o canto”.

Sobre seu futuro dentro do cenário musical, ela afirmou: “Não pretendo fazer shows, é um trabalho muito intimista. É para dividir com amigos. Fiz o disco pelo amor pela musica, mas não tenho medo do rotulo de cantora, apesar da minha prioridade é minha família e o casamento. Tenho projetos que tem a ver com a música, mas também não digo que não volto a cantar. Apenas quero passar uma mensagem para quem quiser entender Deus e compartilhar minhas experiências que foram fundamentais para minha vida”.

Quanto ao gênero do disco, ela acredita que o CD não é uma produção religiosa. “Não é gospel porque são minhas histórias. Tem músicas para meu filho, para meu marido e sobre a amizade. Então são musicas fora do gênero gospel”.

Ao falar da participação de Kaká na música Presente de Deus, ela contou que a idéia foi do marido e que a canção faz parte da vida do casal. “A música é dele e ele quis eternizar essa canção, que a do nosso casamento. É como se ele tivesse cantando para mim e eu para ele, é uma prova de amor”. E ainda revelou que o craque do Real Madrid precisou do apoio de um profissional para soltar a voz. “Quando ele foi gravar, ele recebeu a ajuda de um produtor. Treinou a respiração, o volume da voz e teve que aprender a cantar sussurrando”.

Na faixa Mesma Luz, Caroline Celico teve o privilégio de cantar ao lado da musa do axé Claudia Leitte. E ela contou como as duas se aproximaram, até chegarem a gravar juntas a música sobre essa amizade. “Eu já estava morando fora há uns três ou quatro anos e não conhecia Claudia Leitte. Na casa de uma amiga, eu vi o DVD dela e achei muito linda a forma como ela expressa seus sentimentos, sinceridade e coragem. Quando a encontrei, ela disse que tinha visto um vídeo meu e queria muito me conhecer também”.

A mãe de Luca (3) e Isabella, que nasceu este ano, também contou como resolveu fazer uma música para o filho. “Minha mãe nunca fez uma musica pra mim. Então eu pensei em fazer uma musica para meu filho Luca, que hoje divide essa canção com a Isabela. Pensei no amor de mãe, que eu não conhecia e que descobri quando ele nasceu. Um amor que brotou”. E ainda brincou com a possibilidade do herdeiro virar cantor.  "Depois que o Luca viu o DVD, ele começou a subir em qualquer degrauzinho e fingir que esta em um palco. Mas o pai vai ficaria muito bravo se ele deixar a bola para pegar o microfone”, sorriu.

O sucesso das faixas disponibilizadas na internet anteriormente foi tanto, que já chegaram convites para que as mesmas canções fossem gravadas em outros idiomas. “Já pediram para gravar em outras línguas, mas para interpretar sem ser na primeira língua, é um grande desafio”, contou Carol, que também revelou gostar de rock e outros estilos musicais. “Gosto de U2, Sting, Coldplay, Shania Twain. Quando tinha 14 anos, adorava Britney Spears, Cher.