BRASIL BRILHA, EM PARIS, EM GALA MUNDIAL DAS ARTES E DA CULTURA

A SOCIEDADE ACADÊMICA FRANCESA ARTS, SCIENCES ET LETTRES FAZ 92 ANOS E LAUREIA O DIRETOR DE CARAS COM A MEDALHA DE OURO

Publicado segunda 23 abril, 2007

A SOCIEDADE ACADÊMICA FRANCESA ARTS, SCIENCES ET LETTRES FAZ 92 ANOS E LAUREIA O DIRETOR DE CARAS COM A MEDALHA DE OURO
O presidente da Academie, Jocelyn Pinoteau, entre Edgardo Martolio e Diva Pavesi -
Paris ensolarada viveu momentos de grande emoção ao receber personalidades brasileiras, entre outras do mundo todo, para oferecer as láureas da Academie Arts-Sciences-Lettres, coroada pela Academie Française, tendo como patrono pela última vez o presidente da França, Jacques Chirac (74). A Orquestra Sinfônica de Yvelines juntamente com o Quinteto do Conservatório Nacional de Paris entoaram os hinos na Cerimônia Solene de entrega das altas insígnias (Ouro, Vermelho e Prata), presidida pelo Conselho Superior de Recompensas e pelo presidente da Academie, monsieur Jocelyn Pinoteau (50), que agraciou no Pavillon Dauphine 245 laureados do mundo inteiro, entre eles o diretor superintendente de CARAS, Edgardo Martolio (56). Às três horas da tarde declarou-se aberta a Cérémonie Solenelle de Remise des Diplômes 2007, enfatizando-se o grande valor da Academie - que "já honrou ilustres personalidades como Suas Majestades as rainhas da Bélgica e da Tailândia, Louis Lumière, Colette, Marcel Prevost, Marie Curie, Jean-Paul Belmondo e Milton Nascimento, entre outros" - e que tem entre seus delegados figuras ilustres como a brasileira residente na França Diva Pavesi. Esses delegados "se dedicam voluntariamente à promoção das artes, das ciências, das letras e da cultura". O monumento da belle époque - Place du Marechal de Lattre de Tassigny, 16ème -, edificado em 1913 para receber as delegações estrangeiras que visitavam o presidente da França, no Palais Elysées, agora abria suas portas para homenagear destaques nacionais e estrangeiros. Entre eles estavam o antigo primeiro-ministro belga Mark Eyskens, atual presidente da Academia Real da Bélgica, o professor Stanislas Dehaenne, membro da Academia Francesa de Ciências, bem como Albert Salon, embaixador francês, e a atriz parisiense Marthe Mercadier, agraciados com a Medalha de Ouro. Mercadier, que comemora 60 anos de dedicação ao teatro, disse que guardava "as mais belas imagens de minha primeira visita ao Brasil, quando foi convidada pelo presidente Juscelino Kubitschek". Quando chegou a vez da delegação sul-americana, o presidente Pinoteau convidou ao palco em primeiro lugar o editor e jornalista Edgardo Martolio - única medalha de ouro de toda a América presente em Paris e primeiro argentino a receber tal distinção -, que foi ovacionado pelas 1 200 pessoas presentes, para emoção de sua mãe, a pintora Gladys Armando (83). Em seguida, se assistiu ao desfile das Medalhas de Vermeil brasileiras: o artista plástico gaúcho Paulo Porcella (71) - comemorando seus 50 anos de carreira -; a escultora Arminda Lopes (59), que expôs recentemente em Paris e foi muito elogiada pelo consagrado artista plástico catarinense Juarez Machado (65), que assistiu ao vernissage no dia seguinte; a presidente da Rede de Escritoras Brasileiras - com 2 575 associadas - e escritora Joyce Cavalccante (40), de São Paulo; a artista plástica Maria Ivonne Bergamini (45), de Curitiba; e o poeta carioca Pedro Garcia (55). Seguiu-se a entrega das Medalhas de Prata do Brasil para o autor, compositor e intérprete mineiro Nil Luz (41), radicado na Alemanha e de recente sucesso no festival de jazz de Montreux, na Suíça; para o promotor cultural paulistano Ricardo Massaini (41); para os artistas plásticos Dircéa Mounfort (55), de São Paulo, Marcelo Gimenes (38), radicado há 20 anos na Holanda, e Graça Estrela (51), de Goiás, conhecida na Europa como Graça das Araras, por sua obra em defesa dessa espécie ameaçada de extinção. O promotor cultural Ricardo Massaini chorou de emoção quando o presidente da Academie enfatizou que ele era o filho de Oswaldo Massaini, a única - até hoje - Palma de Ouro do Festival de Cannes para o Brasil, em 1962, com O Pagador de Promessas. Os laureados, em traje de gala, participaram à noite de coquetel e jantar oferecidos pela Academie em soirée regada a champanhe e ao piano de Eric Lochu, deliciando-se com os sons de Bach, Ambress e Naulay. FOTOS: LOUIS FERRE
O presidente da Academie, Jocelyn Pinoteau, entre Edgardo Martolio e Diva Pavesi / foto:
Arminda Lopes e Juarez Machado / foto:
Nil Luz / foto:
Paulo Porcella / foto:
Marcelo Gimenes, Joyce Cavalccante e Ricardo Massaini / foto:
Vista do jantar de gala no Pavillon Dauphine / foto:
Os laureados pelo Brasil / foto:
Panorâmica da cerimônia e... / foto:
...quando o diretor de CARAS recebe sua medalha de ouro / foto:
Por último, a Commission Supérieure des Récompenses / foto:

Último acesso: 29 Oct 2020 - 11:41:57 (106152).

Leia também

TV CARAS