Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A boa forma de amar de Carla Marins e Hugo

Junto há cinco anos, o casal Carla Marins e Hugo Baltazar exalta afinidades como o gosto por viagens e culto à saúde

Redação Publicado em 21/02/2012, às 11h02 - Atualizado às 11h08

Na piscina natural na serra fluminense, Carla exibe o corpo esculpido pelo amado e personal trainer. - Selmy Yassuda
Na piscina natural na serra fluminense, Carla exibe o corpo esculpido pelo amado e personal trainer. - Selmy Yassuda

A paixão pela vida saudável une o casal Carla Marins (43) e Hugo Baltazar (31), que comemora cinco anos de união. A atriz e o personal trainer, pais de Leon (3), mantêm uma alimentação natural, não bebem durante a semana e praticam vários exercícios. Hugo, inclusive, é o responsável pela boa forma da amada. Com 52 kg distribuídos em 1,60m, Carla conquistou um abdome sarado, pernas e braços definidos, além de muita disposição. “É o Hugo quem me estimula a malhar, ele é um supercompanheiro, em todos os sentidos”, derrama-se ela.

Em clima de cumplicidade, o par contou que não há espaço para possessividade na relação. “Ele não é ciumento, nem eu. A gente combina bem”, garante Carla. “Se eu fosse, não estaria há cinco anos com uma atriz. E ela também poderia ter ciúmes de mim, porque trabalho em academia cercado de mulheres lindas”, brinca o professor, em lua de mel com a musa na Pousada Tankamana, na serra fluminense. “Deixamos nosso filho em casa, com os avós, para namorar à vontade. Esse momento só do casal é muito importante para a relação”, ensina Carla, longe da TV desde o fim da novela Morde & Assopra, que terminou em outubro.

– Você e Hugo são bem unidos. O que dá essa “liga” ao casal?

– Temos uma visão de mundo parecida. Apostamos na saúde como forma de viver bem. Gostamos de malhar juntos e amamos viajar. Planejamos levar o Leon para um safári na África e também para passar um mês na Europa, até porque seus padrinhos moram em Paris. Eu e Hugo vamos completar cinco anos de casamento em março já decidimos que a comemoração será em Fernando de Noronha. Só nós dois!

– A diferença de 12 anos entre vocês já trouxe problemas?

Carla – Nunca senti nada, meus amigos são de todas as idades.

Hugo – Penso da mesma forma, não considero a idade um fator importante. Nem me preocupo.

– Carla foi mãe aos 40. Pensam em aumentar a família?

Hugo – Ela ainda não tem certeza se quer mais filhos. Por mim, teria mais dois. O ideal seria que a minha mulher tivesse só mais uma gestação. De gêmeos!

Carla – Estava com 38 anos quando conheci Hugo e nem pensava mais em ter filhos. Nunca tinha encucado muito com isso. Meu relógio biológico gritou uma vez com 27 anos e depois se calou. Estava tranquila e pensava que se pintasse vontade forte de ser mãe, adotaria. Mas quando fomos morar juntos, aos 7 meses de namoro, fiquei grávida. É uma experiência mais intensa do que imaginava...

– Carla, você exibe uma forma física invejável. Como se cuida?

– Malho para ficar magra e definida. Na TV, a imagem cresce e as pessoas acham que estou musculosa demais. Na verdade, só fiz secar. Faço musculação três vezes por semana e nos outros dias, exercícios aeróbicos. Descanso no domingo.

– Como é sua alimentação?

Carla – Comemos muitas frutas, verduras e legumes. Em casa, não temos refrigerante nem frituras. O Leon está indo pelo mesmo caminho, ele é louco por melancia e banana. O doce dele é a fruta. Mas não somos radicais.

– Carla, o que a maturidade lhe trouxe?

– Sou mais segura hoje do que aos 20 anos. A idade fez bem.

– Você é uma atriz experiente, que tem um currículo extenso. O que ainda planeja fazer?

– Fiquei duas décadas contratada da TV Globo, nem sei quantas novelas já fiz, mais de 20 com certeza. A primeira foi Hipertensão, tinha 17 para 18 anos. Claro que é ótimo ser da mesma casa por tanto tempo, porque dá um conforto financeiro. Mas é muito bom também ter autonomia, escolher o que quero fazer. Me dei esse direito agora. Morde & Assopra rendeu muita coisa boa, vários convites para teatro, mas nada que tenha me encantado. Adoraria fazer mais cinema. Protagonizei dois curta-metragens, o Mãe, dirigido por Luis Antonio Pereira, e o Subsolo, de Jaime Lerner, com o qual ganhei o prêmio de Melhor Atriz no Festival Brasileiro de Filmes em Toronto, em 2008. Apesar disso, ainda não estive em nenhum longa realmente impactante. Adoraria fazer um grande filme!

– E como está a agenda profissional após a novela?

– Bom, estou com tempo livre. Então, decidi reabrir a minha matrícula na faculdade de Artes Cênicas, que curso na universidade federal do Rio. O trabalho do ator é muito intuitivo, acho importante essa base teórica. Fora isso, retomei um antigo projeto meu, que é um texto francês para o teatro. Fiz a tradução, mas não posso adiantar o tema porque não possuo os direitos da peça ainda. Na verdade, não tenho pressa para voltar a trabalhar porque o Leon está com 3 anos. Estou fazendo a adaptação dele na escola e vivendo a maternidade.