Bárbara Paz em dia relax

Em Gramado, a atriz fala de sucesso e seus amores

Publicado terça 11 maio, 2010

Em Gramado, a atriz fala de sucesso e seus amores
No Estação das Águas do Kurotel, Bárbara faz uma pausa na rotina corrida de gravações e se entrega a um dos vários tratamentos oferecidos pelo spa, localizado na serra gaúcha. -
O sucesso alcançado com a interpretação da problemática Renata, na global Viver a Vida, é um dos motivos da serenidade exibida por Bárbara Paz (35) em estada no Kurotel - Centro de Longevidade & Spa, em Gramado, na serra gaúcha. "É muito gratificante fazer um papel que te dá um retorno como este e ainda permite ajudar outras pessoas que lidam com a anorexia e o alcoolismo", diz a atriz em visita a seu Estado natal. O bom trabalho já rendeu outros frutos para Bárbara. Ela assinou recentemente um contrato de exclusividade de três anos com a Globo. "Fui muito bem recebida na emissora e tive o Manoel Carlos, autor da novela, como meu padrinho nessa estreia", conta ela, enquanto relaxa nos jardins do estabelecimento e faz tratamentos no Estação das Águas, o day spa do Kur. Essa calmaria, no entanto, não esconde a inquietação profissional da atriz, que se prepara para retornar aos palcos em outubro, no Rio, com a peça Hell, baseada em obra homônima na qual a francesa Lolita Pille (27) narra sua trajetória de menina rica, drogada e consumista da alta sociedade parisiense. "A contemporaneidade do texto me atraiu. Quero voltar ao teatro falando para o público de hoje. A obra trata de uma geração vazia e consumista, mas vai muito além disso", explica ela, que será dirigida pela primeira vez por seu amado, o cineasta argentino Hector Babenco (64), com quem está há três anos e meio. "Temos um encontro de diversos fatores." - Como vê seu primeiro trabalho na Globo? - Só tenho a agradecer ao Maneco, que é meu padrinho nessa estreia, por a Renata ser um personagem tão significativo, denso. Quando viajo, recebo o carinho do público. Aqui mesmo no Kur, as pessoas me parabenizam. É a prova do meu amadurecimento. Hoje, estou mais preparada do que há dez anos, quando comecei na TV, para lidar com o sucesso que ela gera. - Você está se preparando para viver, dessa vez no teatro, uma jovem também problemática. Como está sendo isso? - Eu e o Hector adquirimos os direitos do livro Hell porque tem a ver com a geração atual. É um texto contemporâneo e isso me atrai. Ele vai além de ser um retrato de uma juventude consumista e vazia. E tem ainda a maneira singular de como o Hector irá tratá-la como diretor. Mas não posso dizer como será a peça. - Como é sua relação com o Hector? Vocês compatilham muitas afinidades? - O Hector é um homem brilhante, em todos os sentidos. Eu já era apaixonada pelos filmes dele que já havia assistido e procuro ver os que não conhecia. Digo que temos o encontro de diversos fatores. Mas não falo muito, porque se você fala do outro está falando da vida dele. - Além da televisão e do teatro, você é uma apaixonada por cinema. Quais caminhos você ainda quer percorrer ? - Eu tenho sede de conhecimento. Sou muito centrada, focada no meu trabalho. O ator tem isso de ficar melhor conforme os anos passam. No cinema, já fiz muitos curtas e cheguei a dirigir um, chamado Minha Obra. Também fiz um programa sobre cinema para o Canal Brasil e estamos elaborando um sobre teatro. Tenho de estar sempre em movimento, criando. Escrevo muito e quero voltar a pintar quadros. Acho que serei uma escritora ainda, quando ficar mais velha. - E qual a sua preparação física para manter toda essa energia? - Parei de malhar para poder fazer a Renata. Como ela é modelo, não pode ter músculos, e ainda existia o problema da anorexia e alcoolismo. Faço uma dieta balanceada, com a qual controlo a alimentação e me mantenho saudável. Como falei, eu gosto de estar sempre me movimentando, não sei ficar parada. Já fiz esgrima, gosto de correr e de pilates. Mas tudo isso é para ficar bem, com saúde para realizar os meus projetos, que são muitos. Não tenho medo do tempo.

Último acesso: 03 Jul 2020 - 18:37:24 (144796).