Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Samba e alegria marcam baile de gala de carnaval no Canadá

Ao lado de beldades brasileiras e internacionais, repórter Val Marchiori vibra com o título de rainha do Brazilian Ball

Redação Publicado em 10/05/2011, às 18h07 - Atualizado em 11/05/2011, às 02h57

As misses Canadá 2010 e 2008, Elena Semikina e Samantha Tajik, Aline Prado, Quitéria Chagas e Val são recebidas por Ivan de Souza. - CASSIANO DE SOUZA / CBS IMAGENS
As misses Canadá 2010 e 2008, Elena Semikina e Samantha Tajik, Aline Prado, Quitéria Chagas e Val são recebidas por Ivan de Souza. - CASSIANO DE SOUZA / CBS IMAGENS
Considerado o maior baile de gala da folia brasileira no mundo, o Brazilian Carnival Ball aliou em sua 45ª edição, em Toronto, Canadá, elementos que introduziram o verdadeiro espírito da maior festa popular brasileira, como suntuosas fantasias, a empolgação verde-amarela e a magia do samba. Beldades como as misses Canadá 2010 e 2008, Elena Semikina (27) e Samantha Tajik (26), a globeleza Aline Prado (24), a atriz e passista Quitéria Chagas (30) e a repórter do Programa Amaury Jr., da RedeTV!, Val Marchiori (36), foram recebidas no palco por Ivan de Souza (76), viúvo da criadora da festa anual, a mineira Anna Maria Marcolini Guidi de Souza, que morreu de câncer em setembro de 2007. "Foi a minha primeira vez no evento e também no Canadá. Já tinha ouvido falar que era um baile maravilhoso, mas fiquei impressionada com sua grandiosidade. Foi muito chique, com uma organização, decoração e comida incríveis", relata Val, eleita a rainha do Brazilian Ball deste ano. "Fui convidada, pois me disseram que o meu jeito é simples e, ao mesmo tempo, glamouroso. E olha que esse posto já foi ocupado por mulheres do naipe de Luiza Brunet e Luciana Gimenez. Então, fiquei lisonjeada. Não estava esperando o convite", entrega a loira, em elegante vestido com fios de ouro. "O baile só começa quando a rainha, no caso eu, passa o bastão para o fundador, na ocasião, o Ivan, que representou a mulher, Anna Maria. É logo depois que entra a escola de samba. Inclusive, fui destaque do carro abre-alas. Foi lindo. Quero ser rainha de novo", diverte-se Val. Também em sua primeira visita ao Canadá e na celebração, Quitéria ressaltou a importância da valorização da cultura brasileira. "Anna Maria deixou esse legado de solidariedade objetivando um mundo melhor por meio da caridade. Pena não tê-la conhecido em vida, mas ela se eterniza por meio de sua criação, que é o Brazilian Ball. Ela acreditou em nossa cultura e no carnaval, que representa muitíssimo nosso País", analisa. "Penso que o carnaval do futuro é esse. Os países que levam nossa arte estão percebendo que é ele um grande atrativo para movimentar o turismo e a economia. Que surjam mais 'Brazilian Balls' mundo afora, valorizando nossa arte e ajudando a quem precisa", completa Quitéria. Além da animação e luxo do baile, cuja decoração foi baseada no estilo barroco, o destaque ficou por conta do lado filantrópico, já que a renda arrecadada com os ingressos - a mesa mais barata custava 15000 dólares - será revertida para o Royal Ontario Museum, instituição de história natural e cultura mundial, no Canadá, bem como para uma entidade brasileira, ainda não definida. "Foram dois milhões de dólares arrecadados. O mix do nosso evento é imbatível. É tudo organizado para a beneficência, por isso é o maior e mais antigo gala de carnaval brasileiro do mundo", define o diretor-executivo do Brazilian Ball, o canadense radicado no Brasil Howard Bernard Gillick (62). "Foram sete horas de diversão e glamour brasileiros, com coquetel, desfile de moda, jantar servido à francesa, desfile e baile de carnaval e ainda lounge com DJ e VJ. Nosso elenco é um dream team do carnaval brasileiro: além da Grande Rio, que foi homenageada com desfile do samba enredo de 1993, No Mundo da Lua, havia integrantes da Salgueiro, Unidos da Tijuca, Mangueira, Porto da Pedra e Vai-Vai", emenda Howard. "No Brasil, a gente não tem noção do que esse baile significa no mundo. A minha vontade é fazê-lo em São Paulo. Howard e eu estamos conversando sobre um possível projeto. Know how para eles não falta", acrescenta Val, cuja performance foi aplaudida pelos gêmeos e modelos Flávio e Gustavo Mendonça (31) e pela Miss Mato Grosso 2008, Flávia Piana Pereira (20), eles também atrações da festa. Outro ponto forte foi o desfile assinado por Victor Dzenk (41), estilista mineiro de renome no cenário fashion internacional, no coquetel de abertura. "Levei 12 looks de minha coleção sobre o barroco mineiro", explica ele. "Foi a minha terceira vez no Brazilian Ball. É tudo incrivelmente bem organizado, sem contar que é uma honra participar de um evento beneficente que valoriza a cultura brasileira no Canadá", conclui Victor.