Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

ANDANÇA DO ATOR FÚLVIO STEFANINI

Ele visita Curitiba, onde é o mestre-de-cerimônias do natal do HSBC

Redação Publicado em 17/12/2008, às 15h47 - Atualizado às 15h48

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
O ator Fúlvio Stefanini (69) mora na zona sul de São Paulo, mas já pegou um pouquinho do sotaque curitibano. Ele passa no mínino três dias da semana na capital paranaense, desde meados de novembro, para atuar como mestre-de-cerimônias do espetáculo Natal do HSBC. Até 19 de dezembro, Fúlvio contracena com um coral de 160 crianças, integrantes de casa-lares mantidas por programas sociais do banco. "Elas fazem o trabalho com responsabilidade surpreendente", destaca. Em passeio pela cidade, Fúlvio admirou a Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz de Curitiba, na Praça Tiradentes. Depois, conheceu o painel feito pelo artista Sérgio Ferro (70) em comemoração aos 500 anos do Brasil. A obra está exposta no Memorial de Curitiba, no Largo da Ordem, no centro histórico. Fúlvio também visitou a loja de artesanato Arte Nossa, foi recebido pelo chef Junior Durski (46) em seu restaurante e deu uma boa notícia: em janeiro começa a gravar a próxima novela das sete da Globo, com título provisório de Caras e Bocas. Viverá o advogado Frederico, mais um personagem cômico em sua carreira de 52 anos. "O público gosta de me ver em comédia. Minha fase de galãzinho ficou pra trás", brinca. - Já conhecia Curitiba? - Esta é uma cidade muito familiar para mim. Tenho amigos que moram aqui e já apresentei várias peças nos teatros curitibanos. - Você e sua mulher, Vera, viajam com frequência? - Vamos bastante aos Estados Unidos, apesar de adorarmos a Europa e claro, a Itália, terra dos meus pais. Já percorri a Itália de carro, conheço de norte a sul. - Com 40 anos de casamento e dois filhos, Fulvinho e Leonardo, a pergunta é inevitável: qual é o segredo para a relação dar certo? - Sou do time dos atores casados há muito tempo, do time do Tony Ramos, do Tarcísio Meira, do Paulo Goulart. Mas não consigo teorizar sobre isso. Eu e Vera nos damos muito bem, e não sei dizer o porquê. Acho que não há segredo, para mim é um mistério. - Como será seu Natal? - Em família, como fazemos todos os anos. Só não sei se vai ser em casa, porque estou mudando. - Na TV, você fez vários papéis cômicos. Fazer novela diverte? - Sim, tenho me dado bem em comédia, os personagens mais marcantes da carreira são engraçados. - E qual a sua expectativa para Caras e Bocas? - O texto da novela é de Walcyr Carrasco, a direção é do Jorginho Fernando, não tem erro, vai ser ótima. E eu sempre tive um pouco de sorte. Nunca me arrependi de nenhuma novela que fiz.