Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

ANA PAULA TABALIPA: 'MAMÃE MALUQUINHA'

Atriz fala com orgulho da relação franca e bem-humorada que mantém com os três filhos

Redação Publicado em 18/12/2008, às 12h40 - Atualizado às 14h06

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Para as mães 'normais', as palavras de Lui (7), Pedro (5) e Tom (4) seriam punidas com um rigoroso castigo. Mas a atriz e apresentadora Ana Paula Tabalipa (30) não esconde o orgulho quando seus três filhos enchem a boca para falar que 'a mamãe é maluca'. "Participo das brincadeiras e respondo a tudo que eles perguntam. Acho que por isso me vêem de forma diferente. Mas também sei impor limites e dar bronca", garante ela. Durante fim de semana com os meninos - das relações com o músico João Vianna (31), o primogênito, e com o artista plástico Philippe Gebara (35) - no hotel Eco Resort, em Angra, litoral fluminense, ela mostrou que o jeito moleque tornou-se um grande trunfo. "Na infância, eu jogava bola, andava de carrinho... minha energia é de menino. E eles são tão fofos... sou grudada nos meus filhos", derrete-se Ana, que está no ar como a Raíssa de Chamas da Vida e apresenta o programa Troca de Família, ambos na Record. O estilo mãe participativa e alegre só não ofusca a beleza. Há poucos dias, quando passeava pela praia da Barra, Rio, bairro onde mora, ouviu: 'como você está bonita!' Ana - que foi capa da Playboy de outubro - suspirou, agradeceu e apressou o passo. "Sou tímida. Fiz as fotos sem vergonha, mas não é por isso que saio por aí me achando gostosa, pelo contrário. Confesso até que evito a praia em frente à minha casa", conta ela, que desde maio se relaciona com o empresário Elias Abifadel (31). "Estou boba. Elias me trata bem, me incentiva. Quero casar", afirma. - Como está o namoro? - A relação com Elias é diferente de tudo que já tive. Parece até que nunca fui apaixonada... Ele está ao meu lado sempre, dá apoio, toques. Até na sessão de fotos da Playboy ele foi. É o único que me coloca sempre para cima. - Você já se relacionou com homens que não agiam assim? - Sim. Do tipo que falava: 'você não é bonita, você não é gostosa'. Ficava me achando a pior do mundo. Pensava: 'o que esse cara tá fazendo comigo?' Isso acaba com o lado psicológico... só com muita análise foi possível melhorar. - O ensaio nu foi uma prova para a sua auto-estima? - Não! Nem entendo por que as pessoas têm me olhado na rua (risos). Me sinto muito normal, sou da galera. Admiro quem se acha linda de manhã. Tem muita gordinha que se considera gostosa. Isso é o máximo. Queria ser assim, mas fico deprê em frente ao espelho. O legal é que muita mulher vem falar comigo sobre as fotos. Se identificam porque também sou mãe. - Seus filhos viram a revista? -Sim. Lui achou que tinha foto demais. Pedro disse que eu estava linda, uma princesa. O engraçado é que a babá me contou que encontrou várias revistas na mochila do Lui, ele queria vender na escola, acredita? E por qualquer dez centavos (risos). Eles acham natural porque em casa, ando pelada. - Você parece ser liberal... - Por isso me chamam de mamãe maluca (risos). Eu respondo a tudo o que perguntam e mais um pouco. Mas quando dou meus berros, eles ficam quietinhos. Adoro criança sapeca, mas não mal educada, então sou brava. Eles têm que dizer obrigado, desculpa. E palavrão, como eu digo muito, deixo eles falarem só comigo. - A figura paterna faz falta? - Sim. Já tentei exercer o papel de pai e mãe, mas não sou a Mulher-Maravilha. Não consigo fazer tudo sozinha. Agora divido. Então, diante de algumas perguntas, mando conversar com o pai. Cada um tem que saber sua responsabilidade, até porque depois o pai vinha cobrar de mim. - Eles tiveram ciúme do Elias? - Lui é muito fofo, quis saber se eu estava feliz. Tom achou que estava me perdendo, expliquei que era só deles, mas que precisava namorar. Fico com medo de eles se apegarem. Elias é o primeiro que apresento como namorado... - E o Elias com eles? - Ele não tenta ser pai, isso é importante. Ele é fofo. Só tem um problema (risos): não é nada ciumento, nada. Não provoco porque sou tranqüila, mas ele é surreal. - E você? - Sou muito ciumenta. (risos) - Pensa em filhos com ele? - Sim, mas não agora. Quero fazer tudo certo dessa vez. Casar e ficar grávida. Amo ficar com barrigão. Sou egoísta. Me sinto poderosa com aquele bebê crescendo dentro de mim, só meu.