Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Ana Araújo: preconceito, caridade e 007

Ana Araújo, a brasileira que namora o 'Rolling Stones' Ron Wood e está cotada para ser a próxima Bond Girl, fala com exclusividade à CARAS Online sobre seus projetos. Entre eles, a criação de uma ONG que pretende lutar pela melhoria do ensino no País

Renan Botelho Publicado em 12/09/2011, às 12h06 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Ana Araújo - Divulgação / Blog Photografher Paul Gonçales
Ana Araújo - Divulgação / Blog Photografher Paul Gonçales

Ana Araújo (31) é natural do sertão do Ceará. Graças a uma infância com poucos recursos financeiros, ela cresceu sonhando com as histórias que assistia nos cinemas e aprendeu a acreditar em um futuro melhor. Talvez por isso a vida desta brasileira poderia ser facilmente transformada em filme, o qual falaria da vida da mocinha que lutou – e continua lutando - para realizar todos seus sonhos, com direito a mudança de país e uma grande paixão por um astro do rock.

Atual namorada do guitarrista do grupo Rolling StonesRon Wood (64), que agradece a ela por ter se livrado de seu vício de álcool e drogas, Ana se tornou destaque frequente na mídia internacional – recentemente foi cotada para ser a próxima Bond Girl. Mesmo morando em Londres, ela não se esquece de sua terra natal, e decidiu lançar uma fundação em prol da melhoria do ensino no Brasil.

Em entrevista exclusiva à CARAS Online, Ana Araújo falou sobre seus projetos de caridade, confessou que sofre preconceito por namorar um astro 33 anos mais velho e revelou ter planos de trabalhar no Brasil, além da expectativa para estar no próximo filme da franquia 007. Confira:

- Como nasceu a ideia da ONG Ana Araújo Foundation?
Simplesmente olhando para meu passado. Pude sentir na pele a dura realidade brasileira durante a minha infância e adolescência. Durante os últimos 10 anos, morando fora do Brasil, sempre tive o objetivo de um dia voltar e poder ajudar os que sofreram como eu. Eu tenho sorte de estar conquistando os meus sonhos. Porém, é muito importante lembrar da nossa origem, nossas raízes.

- E qual o seu objetivo com a ONG?
Melhorar o sistema de educação e saúde para crianças e apoiar o fortalecimento da estrutura familiar em áreas de extrema pobreza.

- Você disse que sentiu na pele a dura realidade brasileira. Como foi sua infância?
Eu nasci no sertão do Ceará e me mudei para o Rio de Janeiro com 15 dias de nascida. Cresci em uma família com poucos recursos, mas com muito amor. Lembro do período da minha infância onde comecei a ficar mais atenta e passei observar a grandiosidade do mundo. Filmes me permitiram alcançar um conhecimento de uma outra realidade. A partir desse momento, uma insaciável vontade explorar novos mares nasceu no meu coração.

- E o que te motivou a perseguir seus sonhos?
A certeza de que sou capaz. Tenho a sorte de aprender diariamente com pessoas com uma enorme história de vida e sucesso profissional. A maior sabedoria é saber escutar. Como atriz, é importante posicionar todas essas incríveis experiências no meu processo de atuação.

- O Ron ajudou na criação da ONG?
Ajudou sim.

- Como é namorar um Rolling Stones?
É um namoro com muita boa música ao fundo (risos).

- Você já enfrentou algum tipo de preconceito por namorar um homem mais velho?
Sim.

- E como lida com esta situação?
Preconceito sempre existe, mas isso não influencia nada em nossas vidas. O Ronnie é um homem incrível, é isso que importa. Procuro não me concentrar no que não é produtivo e não faz bem. Levo tudo numa boa, com vontade e otimismo.

- Como é o Ron no dia a dia? Ele é romântico?
Ronnie é muito ocupado e dedicado ao que escolheu fazer. É admirável. Nós dois somos geminianos e um complementa o outro no quesito romantismo.

- Você é ciumenta?
Não. Busco sempre focar minha relação em sentimentos que tragam energia positiva.

- A imprensa internacional divulgou que você seria a próxima Bond Girl. Isto é verdade?
Queria muito que esse comentário se tornasse realidade (risos). Eu tenho feito alguns testes e, claro, sempre esperando um resultado positivo. Seria um prazer ser uma Bond Girl, se eu tivesse a oportunidade. Seria a chance de descarregar um pouco do tanto de energia que tenho (risos).

-Mas você tem outros projetos no cinema, certo?
O que posso dizer é que tenho um roteiro em mãos de uma comédia romântica prevista já para o próximo ano.

- Mudando um pouco de assunto. Como faz para manter o corpo em forma, aos 31 anos?
Levo uma vida muito saudável. Não bebo álcool, frequento academia quatro vezes por semana e faço outros esportes como tai box e pólo.

- Segue alguma dieta específica?
Não. Sigo uma alimentação saudável e equilibrada. Começo meu dia com bons sucos de frutas e alimentos com muita fibra. Meu almoço consiste em sopas leves e saladas frescas. Durante o jantar, eu normalmente tenho uma refeição mais completa com muitas proteínas e verduras. Carnes brancas são minha preferência. De vez em quando me permito umas extravagâncias, um brownie (adoro chocolate e sorvete). É importante não ficar passando tanta vontade, não ser tão radical se privando.

- Como é sua relação com o Brasil? Pensa em voltar a morar na sua terra natal algum dia?
Claro! Tem país mais lindo que esse nosso Brasil? No momento, minha base é em Londres, porém, tenho planos de aumentar minhas relações com meu país.

- Caso te chamassem para fazer uma novela no Brasil, você largaria tudo para vir pra cá?
Estou aberta a convites no Brasil, claro! Sempre em busca de grandes desafios, e com muita vontade de mostrar meu trabalho ao público brasileiro. Como já falei, sou muito apaixonada por este país que, além de tudo, tem tantas mentes criativas! Mas tenho muitos projetos paralelos e definitivamente não sou do tipo que “abandona”, pretendo conciliar tudo da melhor forma possível.