Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Bombom: 'Toda separação é dolorosa'

A dançarina Adriana Bombom, terceira eliminada do reality show 'A Fazenda', conta porque chorou tanto na saída, fala sobre sua separação de Dudu Nobre, das filhas e dos planos para 2010

<i>por Marley Galvão</i><br><br> Publicado em 08/12/2009, às 22h52 - Atualizado em 13/12/2009, às 13h49

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Adriana Bombom - Cassiano de Souza
Adriana Bombom - Cassiano de Souza
Terceira eliminada da segunda edição do reality show A Fazenda, a dançarina Adriana Bombom já superou o choro incontrolável do dia em que deixou o programa e depois, quando se reencontrou com suas duas filhas, Olívia e Talita, de 7 anos e 5 anos, respectivamente. Após protagonizar uma das cenas que mais chamou a atenção do público no último domingo, 6, com um choro compulsivo, a ex-participante da atração da Rede Record voltou a estampar seu sorriso característico no rosto. "Chorei muito quando saí, mas não pelo fato de estar sendo eliminada. Também foi isso, mas aquelas lágrimas tinham muitos mais motivos. As mulheres que já passaram por uma separação entendem do que estou falando", disse Bombom, que, antes mesmo de entrar em A Fazenda, anunciou sua separação do cantor Dudu Nobre, com quem foi casada por oito anos. Um dia após sua saída da competição, o Portal CARAS conversou com a dançarina com exclusividade em São Paulo. Veja, a seguir, o desabafo de Bombom sobre sua separação, como era dentro da fazenda e os planos para 2010. - Muitos a criticaram por causa do seu choro constante. Você é chorona mesmo? - Olha, eu sou chorona mesmo! Choro com filme, com uma planta, com a vida, de alegria, de tristeza, de raiva, enfim, sou emotiva e não mudaria minha personalidade para fingir ser outra pessoa só porque estava na TV. - Mas o choro excessivo durante sua saída chamou a atenção. Por que tantas lágrimas naquele momento? - As pessoas não entendem que, às vezes, você acumula sentimentos e, de repente, uma pequena coisa provoca a liberação de todos eles. Naquela hora, quando fui eliminada, aconteceu uma mistura de emoções. Primeiro, fiquei triste porque achava que ficaria mais tempo em A Fazenda; segundo, porque estou passando por uma fase difícil da minha vida com a separação; e terceiro, porque estava com saudades das minhas filhas. Ora, se choro com filme, como não vou chorar num momento tão intenso como aquele? - Como era sua rotina de casada? - Há oito anos vivo em função do marido, das filhas e da casa. De manhã, o Dudu já tinha a calça e a camisa, tudo separado para ele vestir. Eu levava café da manhã na cama para ele. Cuidava e cuido das minhas filhas como toda mãe. Sabe aquela história de pentear cabelo, ver se comeu direito? Pois é, sou uma mulher normal que é mãe. Agora, sempre me cuidei. Sempre gostei de ter um corpo saudável e bonito. Muita gente fala um monte de coisa que faço para ficar em forma, mas ninguém sabe como me esforço, as dietas que faço, que levanto peso. Além disso, minha genética ajuda. - E o que representou para você esse período de confinamento? - Há muito tempo eu não pensava em mim. Quando você ama, se casa e tem filhos, acaba dedicando sua vida a essas pessoas. Por isso fico indignada quando alguém fala que não sou uma boa mãe. Mas lá dentro pensei muito na minha vida. Foi bom porque lembrei quem eu era, uma mulher forte, guerreira, que sorri para a vida. Minhas mãos estão cheias de calos por causa das atividades na fazenda, mas isso não é nada. Não tenho medo de lutar, de ter que recomeçar. - Como suas filhas reagiram quando você disse que iria participar do reality show? - Eu fiquei chocada. Antes de falar que iria, perguntei o que elas achavam se eu fosse convidada. Sabe o que elas responderam? Mãe, não acredito, você vai sim! Isso me fez tomar a decisão certa e aceitar o convite. - Então você não se arrepende de ter participado do jogo? - Não, de maneira alguma. É claro que você se expõe muito, mas ao mesmo tempo serviu como um refúgio e eu precisava desse tempo. Além disso, conheci pessoas maravilhosas e tenho a consciência tranquila que fui ali a mesma pessoa que sou. Fui muito transparente e o público viu quem eu sou. É claro que nem todo mundo vai gostar de mim, mas a vida é assim. - O que mais a incomodou dentro da Fazenda? - A falta de higiene das pessoas. Eu lavava um monte de louça. Não sei como as pessoas podem viver sem um mínimo de limpeza. E eu não tenho o menor problema de pegar a vassoura, de limpar. - Toda esta história do fim do casamento tem causado muitos comentários. O que realmente está acontecendo? - Muitas mulheres que passaram por uma separação vão me entender. Quando um casamento chega ao fim, indepedente do motivo, é muito doloroso. E ninguém separa de uma hora para outra. Estamos vivendo o processo da separação. Ainda estamos na mesma casa e tem muita coisa para decidir, mas uma coisa é certa, não abro mão das minhas filhas, jamais. E agora, mais do que nunca, tenho certeza que não posso ficar longe delas. Outra coisa: eu disse que iria sair de casa. Mas repensei melhor, coloquei minhas filhas como prioridade e decidi que não vou sair do meu lar. Não vou deixar minhas filhas sem uma estrutura e sou muito forte para lutar por isso. - E quais são seus os planos para 2010? - Ainda estou atordoada. Quando você volta, tudo fica uma loucura. Não desgrudo do celular e tenho vontade de falar com um monte de gente, então, ainda não parei para pensar em nada. Mas uma coisa já tenho certeza, vou desfilar pela Tom Maior com a maior alegria do mundo, porque amo viver.