Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS

24|BONO VOX LUTA CONTRA A AIDS NA ÁFRICA E SE MOSTRA BEM CASADO

12,5|ELE É HOMENAGEADO AO LADO DA MULHER, ALI HEWSON, E PÕE FIM AOS RUMORES SOBRE AFFAIRE COM PENÉLOPE CRUZ EM GALA NOVA-IORQUINO

Redação Publicado em 06/11/2007, às 16h25

Bono e Ali no jantar de gala em prol da Fundação Keep a Child Alive, que combate a Aids na África. Por sua luta, em 2003 ele foi indicado ao Nobel da Paz. - AFP E REUTERS
Bono e Ali no jantar de gala em prol da Fundação Keep a Child Alive, que combate a Aids na África. Por sua luta, em 2003 ele foi indicado ao Nobel da Paz. - AFP E REUTERS
As fãs do músico irlandês Bono Vox (47), líder da banda U2, podem respirar aliviadas. O engajado artista, ativista na luta contra as desventuras do povo africano, iniciativa que lhe rendeu uma indicação ao prêmio Nobel da Paz em 2003, provou que, além de bom moço, é um bom marido. Na quarta edição do jantar de gala Keep a Child Alive (Mantenha uma Criança Viva) - o nome se refere à instituição sem fins lucrativos que fornece os remédios necessários para crianças e famílias afetadas com o vírus HIV na África -, em Nova York, ele liderou a festa beneficente e recebeu homenagem ao lado da mulher, Ali Hewson (46), mãe de seus quatro filhos - Jordan (18), Memphis (16), Elijah (8) e John (6) -, suprimindo os rumores de que teria tido um affaire de verão com a atriz Penélope Cruz (33). A comunidade da música se envolveu em peso na causa defendida por Bono e apoiada na festa pelo grupo editorial Condé Nast: aproveitar a proximidade do Dia Mundial da Aids - 1º de dezembro -, e alertar para a situação da doença, que atinge 25 milhões de africanos e 40 milhões de pessoas no mundo. Estavam presentes a modelo Iman (52) e seu marido, o cantor David Bowie (60), e as cantoras Alicia Keys (27), Gwen Stefani (38) e Sheryl Crow (45). Criado em 1988, o Dia Mundial da Aids é um pretexto para levantar a discussão entre governos, organizações internacionais e instituições beneficentes. Bono e Alicia Keys apresentaram ao vivo sua interpretação da música Don't Give Up (Africa), que quer dizer "não desistas da África", versão da canção So, gravada em 1986 pelos cantores ingleses Peter Gabriel (57) e Kate Bush (49), cuja renda será inteiramente dedicada à fundação Keep a Child Alive. A noite arrecadou 1,5 milhão de dólares para o combate à doença. "É uma honra homenagear Bono por seu amor pelo povo africano. Ele se dedica mais do que qualquer outra estrela a levantar a voz pelo bem dos mais pobres", disse a fundadora do Keep a Child Alive, Leigh Blake. "Bono é uma inspiração. Além de músico fantástico, ele sempre batalhou pessoalmente por essa causa", disse Alicia Keys. "Tenho muito respeito pelo que ele fez pela África e como ele usou sua fama para espalhar o bem pelo mundo. Se eu fizer, ao longo da vida, metade do que ele fez, ficarei feliz. O modo que tratamos os pobres reflete o que somos como pessoas. Espero que todos entendam o desastre que acomete a África e possam ajudar com ações naquele continente", pregou Alicia Keys. "Todos os astros do rock querem sempre fazer duas coisas: sucesso e mudar o mundo. Se conseguirem fazer as duas ao mesmo tempo, tanto melhor", declarou o ativista Bono Vox.