Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

ETIMOLOGIA

por <b>Deonísio da Silva</b>* Publicado em 24/08/2009, às 18h43

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Armagedão: do hebraico har Meguido, monte Meguido, na Galileia, pelo grego Armageddon, escrito também Harmagedon, antiga cidade da Palestina, onde, segundo a Bíblia, vai acontecer a batalha final do exército do Bem contra o do Mal, o fim do mundo. Um dos maiores intérpretes do Brasil profundo, o compositor, ator, cantor e apresentador de televisão Rolando Boldrin (72), em A Moda do Fim do Mundo, espanta a tristeza dos últimos dias com estes versos bem-humorados: "Cumpadi, em Brasília, espaiaram/ um boato muito chato/ que o mundo vai se acabar". Passa a convidar o compadre a guardar um galo, um touro, um casal de gatos e outro de cachorros, um jegue e uma comadre. Todos os guardados têm uma finalidade: "Um macho prás galinha", "o bicho que sabe fazer bezerro", "o bicho que faz miau", "a jega ter um jegue" e "evitar que a raça morra", a dos cachorros. A comadre é "prá dispois do fim do mundo a gente ter/ um pecadinho prá confessar pro padre". Cacho:provavelmente do latim, capulum, punhado, mancheia, quantidade que se pode abranger com a mão, designando também coisas reunidas, como cacho de uva e cacho de cabelo, em que alguns componentes ficam escondidos, aparecendo apenas os de fora. Frei Joaquim de Santa Rosa de Viterbo (1744-822), em seu Elucidario, registra a palavra cachado, derivada de cacho, com o sentido de encoberto, neste trecho de Damião de Góis (1502-1574): "Andão nus da cintura para cima, e para baixo cachados com pannos de seda". Insubível: de subir, do latim subire, subir, tornado adjetivo, com o significado de que não pode ser subido, palavra criada pelo presidente Lula (64) na festa dos 150 anos da Igreja Presbiteriana, no Rio de Janeiro, referindo-se à favela Dona Marta: " Como diria o Magri, aquele morro era insubível". É provável que os dicionários venham a registrá-la, como fizeram com imexível, palavra criada pelo então ministro do Trabalho do Governo de Fernando Collor de Mello (60), Rogério Magri (68). Legião: do latim legione, declinação de legio, legião, do mesmo étimo de legere, juntar, escolher. Por norma, cada legião romana, comandada por um general, tinha entre 6000 e 12000 soldados, armados de capacete, gládio e escudo, calçando sandálias ou coturnos. A primeira fila de combatentes era a infantaria, constituída pelos soldados mais jovens - infante é do mesmo étimo de infância -, armados de lança e por isso chamados hastati, de hasta, haste, lança. A seguir vinham os principes, do mesmo étimo de principal, homens já feitos, armados de uma espada curta e um pequeno punhal, do mesmo étimo de punho - a mão fechada, incluindo o pulso - e de pugna, luta. Rigoroso: do latim rigorosus, rigoroso, duro, do mesmo étimo de rigidus, duro, frio. Passou a qualificar a pessoa extremamente disciplinada, como foi Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias (1803-1880), cuja data de nascimento, 25 de agosto, serviu para instituir o Dia do Soldado. Sua certidão de batismo diz, porém, que ele veio ao mundo no dia 26. A de óbito, que morreu no dia 7 de maio. Entre uma data e outra, foi autor de feitos notáveis que levaram seu nome a ser inscrito no Livro dos Heróis Brasileiros. Entrou para a vida militar aos 5 anos, tornando-se marechal aos 39. Foi comandante das tropas brasileiras na Guerra do Paraguai e em 1867 substituiu o general argentino Bartolomeu Mitre (1821-1906) no comando geral da Tríplice Aliança, formada por Brasil, Argentina e Uruguai, quando os aliados haviam perdido várias batalhas para o Paraguai. Caxias tornou-se adjetivo no português, qualificando a pessoa que, como o patrono do Exército brasileiro, é muito disciplinada, sobretudo consigo mesma. Uma das cidades que o homenageiam é Duque de Caxias, com cerca de 900000 habitantes, situada na região onde ele nasceu, na Baixada Fluminense, no Estado do Rio de Janeiro. Soldado: do italiano soldato, soldado, particípio de soldare, pagar soldo para mercenários ou militares. Soldo veio do latim solidum nummum, com elipse de nummum, dinheiro. Era uma moeda de ouro da Roma imperial. Com esse dinheiro eram pagos os miles, militares, para militare, lutar nas tropas do Exército, do mesmo étimo de militia, milícia, soldados organizados em legiões, coortes, centúrias e manípulos, sob o comando de generais, cônsules e tribunos. O dinheiro recebido com o fim específico de comprar sal, ingrediente indispensável à comida, era o salarium, salário. Inicialmente surgida no italiano soldato, veio para o francês como soldat, para o inglês como soldier e para o alemão como Soldat (com inicial sempre maiúscula porque é substantivo).