Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Citações

Redação Publicado em 19/05/2008, às 11h11

Se a dor de cabeça nos chegasse antes da embriaguez, guardar-nos-íamos de beber demais. Michel de Montaigne (1533-1592), filósofo francês. Há dois tipos de romântico: aquele que ama e aquele que ama a aventura de amar. Lesley Blanch (1904-2007), escritora inglesa. A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana. Giacomo Leopardi (1798-1837), poeta lírico e filósofo italiano. Quando se tratava de beijar, Harlow era a melhor. James Stewart (1908-1997), ator norte-americano que faria 100 anos no dia 20, sobre a atriz Jean Harlow (1911-1937). O beijo começa tudo; é da boca que vem a relação. Cazuza (1958-1990), cantor e compositor carioca. A adversidade devolve aos homens todas as virtudes que a prosperidade lhes tira. Eugène Delacroix (1798-1863), pintor francês. O valor da pessoa humana é o valor fonte de todos os valores. Miguel Reale (1910-2006), jurista, filósofo, educador e poeta paulista. Tudo que em nós há de original conservar-se-á tanto melhor e será tanto mais apreciado quanto mais formos capazes de não perder de vista os nossos antepassados. Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832), poeta, dramaturgo e escritor alemão. Isto sabemos: a terra não pertence ao homem, o homem pertence à terra. Isto sabemos: todas as coisas estão ligadas, como o sangue que une uma família. Há uma ligação em tudo. Chefe Seattle (1790-1866), cacique da área onde é hoje o Estado de Washington, recusando-se a vender terras, em 1854. Desvia a tua atenção para a maravilha da vida e a vida não se esgotará. Vergílio António Ferreira (1916-1996), escritor português. É preciso fazer alguma coisa contra o medo, quando ele nos assalta. Rainer Maria Rilke (1875-1926), poeta tcheco-austríaco, no livro Os Cadernos de Malte Laurids Brigge (Novo Século). Todos um dia partirão -/ mesmo os que têm mais apego às coisas do mundo. Augusto Frederico Schmidt (1906-1965), poeta carioca. O passado é um segundo coração que bate em nós. Henry Bataille (1872-1922), dramaturgo francês. Só se ama aquilo que não se possui completamente. Marcel Proust (1871-1922), escritor francês. Ela se desescondia dele. João Guimarães Rosa (1908-1967), médico e escritor mineiro. Nem tudo o que se diz, se faz. Ismael Silva (1905-1978), Nilton Bastos (1899-1931) e Francisco Alves (1898-1952), na música Nem é Bom Falar, cuja letra é citada pelo escritor catarinense Deonísio da Silva (59) no livro Goethe e Barrabás (Novo Sé O grande segredo da moral é o amor; ou um afastamento de nossa própria natureza e uma identificação com o belo que existe no pensamento, na ação ou na pessoa que não nós mesmos. Percy Bysshe Shelley (1792-1822), poeta e escritor inglês, em Uma Defesa da Poesia e Outros Ensaios (Landmark). Dar é um prazer mais inesquecível do que receber (...). Dar é uma paixão, quase um vício. A pessoa a quem damos torna-se-nos necessária. Cesare Pavese (1908-1950), poeta e escritor italiano.