Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Citações

Redação Publicado em 16/04/2007, às 16h17

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Acontece em abril (...). Os boletins meteorológicos não se lembraram de anunciá-lo em linguagem especial. (...) Discretos, silenciosos, chegaram os dias lindos. E aboliram, sem providências drásticas, o estatuto do calor. Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), poeta mineiro. Tempo: o clima do momento. Tópico de conversa permanente entre pessoas a quem isso não interessa, mas que herdaram essa tendência de antepassados que andavam nus e para os quais o assunto era de extrema importância. Ambrose Bierce (1842-1914), escritor norte-americano. O paraíso é o lugar onde estou. François Marie Arouet, o Voltaire (1694-1778), filósofo francês. Quem nesta vida quer tudo ao seu gosto há de ter muitos desgostos. Francisco Gómez de Quevedo y Villegas (1580-1645), escritor espanhol. Uma cabeça má arruina o corpo inteiro. Mariano da Fonseca, marquês de Maricá (1773-1848), político carioca. Se a arte da conversação estivesse em nível mais elevado, não teríamos um acréscimo populacional tão grande. Stanislaw Jerzy Lec (1909-1966), escritor polonês. A criação de algo novo é realizada pelo instinto de diversão que age a partir de necessidade interior. Carl Jung (1875-1961), psicólogo e psicanalista suíço. Não basta começar bem, não adianta mediar bem, se não se acaba bem; de pouco servem bons começos e melhores meios, se os fins não se mostram bem-sucedidos. Mateo Alemán (1547-cerca de 1614), escritor espanhol. A felicidade do homem não consiste em não ter paixões, mas em dominá-las. Alfred Tennyson (1809-1892), poeta inglês. O coração não sabe de obrigações, nem de deveres; no próprio coração encontramos sempre mil razões para deixarmos de amar quando já não amamos. Jacinto Benavente (1866-1954), poeta e dramaturgo espanhol. A mocidade, quando ama, não tem exigências outras que não sejam as do próprio amor. Júlio Dantas (1876-1962), escritor português. O sexo é uma das nove razões para a reencarnação. As outras oito não têm importância. Henry Miller (1891-1980), escritor norte-americano. Talvez o amor seja apenas o reconhecimento do prazer. Honoré de Balzac (1799-1850), escritor francês. O melhor governo é, para mim, aquele que agoniza, pois vai ceder o lugar a outro. Gustave Flaubert (1821-1880), escritor francês. Você encontra na rua/ Dinheiro, anéis e até felicidade/ E o povo/ Já pergunta com maldade/ Onde está a honestidade. Noel Rosa (1910-1937), compositor carioca. O problema comum, vosso, meu, de todos,/ Não é imaginar o que na vida seria bom,/ â¬" Uma vez que pudesse acontecer â¬" mas primeiro descobrir o que pode acontecer, e então ver como torná-lo bom/ Dentro de nossas possibilidades. Robert Browning (1812-1889), poeta inglês. As enfermidades são o resultado não só dos nossos atos, mas também dos nossos pensamentos. Mahatma Gandhi (1869-1948), político e e pacifista indiano.