Poder dourado e feminino de Fiorella Mattheis

Assine

Por por Tamara Gaspar

Poder dourado e feminino de Fiorella Mattheis

Na histórica Ouro Preto, atriz faz ensaio em clima barroco e celebra as conquistas pessoais

Patrimônio Mundial da Unesco desde 1980, palco central do Ciclo do Ouro, no século XVIII, e famosa por sua arquitetura colonial e herança barroca, a mineira Ouro Preto encantou e surpreendeu Fiorella Mattheis (28). “Foi uma experiência ímpar, enriquecedora e de aprendizado histórico. Uma viagem no tempo”, resumiu a atriz, que fundiu sua be leza a luxuosos cenários do período áureo da mineração brasileira em ensaio para a 7ª edição do AuDITIONS, concurso de design de joias promovido pela mineradora AngloGold Ashanti e do qual ela acaba de se despedir do posto de Golden Girl após dois anos de reinado. “Alguns séculos se passaram desde que a cidade viveu a opulência do período do ouro, que permitiu a grandes artistas como Aleijadinho e tantos outros se expressarem na forma de esculturas e pinturas”, disse ela, citando o escultor barroco Antonio Francisco Lisboa (1738–1814), durante ensaio onde usou peças do concurso.

Fiorella também vive fase dourada na carreira e no amor. Musa do jogador Alexandre Pato (27), ela alimenta o sonho de subir ao altar, mas é ponderada ao fazer planos. “Acho que todo mundo namora pensando em casar e ter filhos! Sei que esse momento vai chegar, mas estamos focados no trabalho”, explicou a loira, que se divide entre o Rio e Sevilha, na Espanha, onde o craque atua. “Ele é meu parceiro, somos apaixonados”, disparou ela, radiante com seu mais recente trabalho no cinema, o longa O Último Virgem, e com a confirmação da 5ª temporada da série Vai Que Cola, do Multishow.

Como avalia seu 2016?
Foi um ano que voou! Foi bem corrido e fiquei com a sensação de que não vi as coisas passarem. Foram muitas mudanças, como a nossa adaptação à Espanha. Ao mesmo tempo, foi um ano de aprendizado e crescimento.

Vive entre Espanha e Brasil...
No Brasil, cuido da parte profissional, da família e dos amigos. Na Espanha, curto namorar e estar perto de quem gosto, amo estar com ele e viver a nossa história. Como venho pelo menos duas vezes por mês ao Brasil, não sofro com a distância e a saudade da família. Lógico que não é uma ponte aérea como Rio-SP, mas quando a gente faz as coisas em prol de um bem maior, tudo vale a pena.

Como é sua rotina quando está no Velho Continente?
Amo cuidar da casa. Ela está sempre organizada, com algo novo, e florida.

Há ciúme?
Pato é tranquilo e sabemos separar as coisas. Entendemos que existe o assédio e o carinho dos fãs, isso é con sequência do nosso trabalho, mas nos respeitamos e admiramos muito o trabalho um do outro.

Como foi a experiência de mergulhar no universo do ouro?
Foi uma experiência enriquecedora e glamourosa! Foi um trabalho diferente de tudo que eu já fiz. Todo mundo conhece o ouro, mas não sabe de onde vem e como é produzido. Desci em uma mina com cerca de 100m de profundidade, conheci todo o processo químico, foi incrível.

Após essa visita, passou a dar novo significado às joias?
Sem dúvida! Agora, conheço todo o trabalho que existe por trás das peças, o esforço dos mineiros, o processo de extração, é um trabalho em equipe e não somente do designer que elabora a joia.

Qual foi sua primeira joia?
Apesar de não me lembrar, pois era bebê, foi uma pulseirinha com uma placa que tinha o meu nome gravado. Também lembro que, quando tinha uns 12 anos, ganhei dos meus pais um crucifixo que tenho até hoje. É o meu amuleto da sorte.

Pato costuma te dar joias?
Ele já meu deu coisas lindas. Costumo usar as peças que ele me dá quando preciso viajar. É uma maneira de estar perto, de matar a saudade. Adoro ganhar e presentear, pois acho que uma joia marca momentos importantes.

Tags relacionadas: Alexandre Pato | Fiorella Mattheis | fashion

Notícia publicada Qui, 12 jan 2017 as 08:01, por por Tamara Gaspar.






Mais Notícias de fashion