Os passos seguros da top Schynaider Garnero

Assine

Por por Ana Ligia Sampaio

Os passos seguros da top Schynaider Garnero

Após pausa para se dedicar ao clã, top volta à cena fashion

Há dez anos, quando perguntada sobre o que almejava para o futuro, a piauiense Schynaider Moura Garnero (28) tinha a resposta na ponta da língua: queria se estabelecer no universo fashion, fotografar nos lugares mais exuberantes e desfilar nas principais semanas de moda. Na mesma época, a top conheceu o empresário Mario Bernardo Garnero (50), herdeiro de duas famílias tradicionais da sociedade brasileira e dono de uma fama de solteirão convicto. Hoje, a loira sorri ao comentar os rumos que sua vida tomou na última década. “Às vezes, nem acredito que cheguei aos 28 anos casada, mãe de três meninas... Não achei que seria mãe tão cedo. Quando conheci o Mario nem tinha planos de casar. Mas não mudaria nada, sou completamente feliz e realizada”, diz a mãe de Anne Marie (7), Elle (3) e Gioe (2).

Com a vida pessoal estabilizada, Schynaider decidiu que era hora de voltar ao batente após a pausa de três anos. Exibindo novo look com cabelos platinados na altura do ombro e franjinha, a beldade retomou a carreira de modelo e admite a vontade de estrear na TV. No Castelo de CARAS, a 40 minutos de New York — onde vive com a família —, ela falou com entusiasmo sobre a nova fase.

Como é estar de volta?
Trabalhei depois que tive a Anne Marie, mas depois da segunda e da terceira gravidez achei melhor desacelerar. Agora estou recomeçando, preciso pegar o embalo. Só não sinto pressão do tipo “tenho que fazer isso ou aquilo”.

Sentia falta da carreira?
Gosto de trabalhar e acho importante dar exemplo para as meninas. Tirei esse tempo para a família e foi maravilhoso, mas a Schynaider modelo sempre esteve “A Schynaider top sempre esteve ali, no canto. Esse meu lado acordou com tudo!” ali, quietinha no canto… Agora esse lado acordou e voltou com tudo! É uma nova fase da minha vida, o mercado também está diferente, agora existem as mídias sociais, que influenciam muito.

E além de voltar a modelar, você quer investir na TV?
Sim, sempre gostei e tive vontade de trabalhar com TV. Mas quero fazer direito, me preparar bem. Estou estudando, fazendo fono para melhorar a dicção e acompanhamento com a Adriana Pires, uma coach maravilhosa. É engraçado, a modelo sempre tem uma relação com vídeo por causa das campanhas e dos desfiles, mas é totalmente diferente. Como modelo você só faz caras e bocas, na TV tudo o que você não pode fazer é caras e bocas! (risos)

Como lida com a questão do corpo após ser mãe?
Hoje, comparando, vejo que o primeiro filho não é nada, mas depois da terceira gravidez… Ai, ai. (risos) Pior, eu estava amamentando a Elle, nem tinha voltado direito para o meu peso, e quando ela tinha nove meses engravidei da Gioe. Para falar a verdade, curti muito cada gravidez e o período da amamentação. Minha preocupação era estar saudável e ter leite para elas, não fiz dietas malucas, fiquei tranquila. Agora não tem mais desculpa, tem que malhar.

Qual a rotina de exercícios?
Antes de ter filhos, quase não malhava e era daquelas magras por genética. E também era novinha, o metabolismo era outro. Agora, faço cardio e musculação. Amo spinning, mas preciso da musculação para definir o corpo, ficar durinha. Difícil é arrumar tempo!

Você se gosta mais agora?
Eu me amo agora, acho que até mais do que aos 18 anos. Sempre tive uma autoestima muito boa, mas houve uma época, depois que a Gioe nasceu, que eu pensei “nossa, acabou, nunca mais vou emagrecer de novo”. Passei por essa fase de não me aceitar. Estava completa como mãe, mas não estava feliz como mulher. Mas sempre penso no lado positivo, o mundo pode estar desabando que eu digo “calma, deve ter alguma coisa boa nisso tudo”.

Qual a opinião do Mario sobre a sua volta às passarelas?
Ele me apoia muito. A gente tem um bom relacionamento, estou amadurecendo com ele, estamos escrevendo a nossa história juntos. Os anos passam e ficamos mais companheiros.

Como é ser mãe em NY? 
Eu adoro, acho maravilhoso. Tem a questão da cultura americana e muitos valores deles que admiro, mas até por Mario e eu sermos brasileiros, o jeito brasileiro é muito presente na nossa casa. A educação das minhas filhas é brasileira. Acho que fica meio 50% de cada lado, uma mistura boa. Em casa tem arroz com feijão quase todos os dias e nos aniversários tem brigadeiro e salgadinhos.

Vocês vão com elas ao Brasil?
Fiquei um bom tempo sem ir quando elas eram pequenas, mas tiramos um mês de férias na época da Olimpíada e viajamos para o Rio e para o Piauí. Estava cheio de avó, tia, primo querendo ajudar a cuidar das meninas. Agora vamos para o Rio passar o Natal com os Monteiro de Carvalho.

Tags relacionadas: castelo-de-caras

Notícia publicada Sex, 9 dez 2016 as 07:12, por por Ana Ligia Sampaio.






Mais Notícias de castelo-de-caras