Cintia Dicker de olho no futuro: "Amei atuar"

Assine

Por por Ana Ligia Sampaio

Cintia Dicker de olho no futuro: "Amei atuar"

Foco em design, TV e passarela

De tempos em tempos, a gente ouve uma história, meio conto de fadas moderno, em que a menina que sofria bullying por não se encaixar em um certo padrão de beleza de repente é descoberta por uma agência de modelos e se transforma em top internacional. Com a gaúcha Cintia Dicker (29) foi assim. “Estava passeando no shopping, tinha ido pagar uma conta com a minha prima. O scout me parou e perguntou se eu queria ser modelo, mas eu não tinha noção de nada e fiquei com medo. Ele marcou uma conversa com minha mãe e família toda se juntou para ouvir o que ele tinha para falar”, recorda ela, rindo. “Fui para São Paulo e na primeira semana já fiz um trabalho.

Tudo isso quando eu tinha 14 anos, era muito novinha. Hoje tenho a noção de que eu era uma criança”, avalia ela, no Castelo de CARAS, a 40 minutos de Manhattan.

Com lugar garantido entre as tops brasileiras mais disputadas no exterior, Cintia não pensa em se aposentar das passarelas tão cedo, mas dedica-se cada vez mais a uma nova paixão: sua grife de moda praia. “Eu devo muito à carreira de modelo, que me deu a oportunidade de conhecer o mundo, pagar minhas contas com 15 anos, ajudar minha família… A Dicker Swimwear é a continuidade do meu trabalho. Modelo não é para sempre. Achei algo que me deixa tão feliz quanto modelar”, atesta a ruiva, que namora o dentista carioca Pedro Garcia (32) há dois anos.

Se pudesse voltar no tempo, no início da carreira, que conselho daria a si mesma?
Cuida de você, do seu corpo, da sua mente. Faz uma yoga, menina! E para de fumar! (risos)

Depois de tantos anos, ainda fica insegura com alguma coisa?
Como é a nossa aparência que vai estar ali para todo mundo ver, sempre rola uma preocupação. A gente pensa se a pele está boa, se o corpo está com tudo no lugar… Ah, somos mulheres! (risos)

Qual segredo para se manter no topo por tantos anos?
Acho que personalidade conta muito. Quando você está feliz, está no trabalho fazendo acontecer, simpática com todos e de bem com a vida, as pessoas gostam dessa energia e acabam querendo trabalhar com você sempre.

Qual é seu diferencial?
Cabelos, sardas. Quando comecei era eu e mais duas ruivas, isso ajudou bastante. Ser pontual e ter bom humor também faz toda a diferença.

O verão brasileiro está chegando, qual o tipo de biquíni que você aposta que será sucesso?
Acho que a calcinha que empina o bumbum com o top cortininha não tem erro. É só escolher uma modelagem perfeita que o corpo fica lindo.

Quantos biquínis você tem?
Eu tinha muitos! Eu fotografei para a Sports Illustrated por cinco anos e eles sempre mandavam uma mala cheia de biquínis. Doei tudo. Quando preciso de biquíni ligo lá no estoque da marca e falo para me mandarem. Mas muitas vezes fico sem aquele que achei mais lindo, pois acabei deixando para vender.

Você atuou em uma novela e em uma série na Globo. Tem projetos para TV?
Por enquanto, não. Fico em NY mais dois anos, trabalho o máximo que der. Faço cursos de atuação e depois invisto no Brasil, na carreira de atriz. Amei atuar.

Tags relacionadas: Cíntia Dicker | castelo-de-caras

Notícia publicada Seg, 21 Nov 2016 as 07:11, por por Ana Ligia Sampaio.






Mais Notícias de castelo-de-caras